My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Tuesday, July 18, 2006

O Guerreiro

O Guerreiro

A sua armadura era altiva e brilhava
Prateada, firme e cintilante
A todos os seus detractores ofuscava
De uma glória e esplendor impressionante.

Era admirável e forte a lutar
Jamais pereceu em campo de batalha
E na glamorosa arte de se afirmar
Transformava as derrotas em vitórias.

A sua fama precedia-o em séculos
De todos granjeava o respeito
Elegantes e harmoniosos eram os seus gestos
Em todos esmagando a ignorância e o despeito.

O Guerreiro sentia-se imortal
Intocável nos seus sentidos e na sua essência
Os seus seguidores idolatravam-no
Numa realidade quase oca e banal.

Mas um dia o Guerreiro caiu
E a sua resplendorosa áurea se extinguiu
Cansado da vida irrepreensível que levou
Traído pelo Castelo que sempre defendeu.

A música celestial parou de tocar
A melodia das suas notas se cansou
Os seus seguidores tocaram a debandar
E o sonho da imortalidade cedo se findou.

A sua armadura foi trespassada
Por uma flecha envenenada de traição
E a sua alma inexoravelmente abalada
Sem lágrimas de arrependimento ou perdão.

A chama da vela deixou de trepidar
A guitarra tocou acordes de Requiem
No chão foi espezinhado e humilhado
Sem que ninguém se erigisse para o salvar.

Não ergueu a mão nem clamou por misericórdia
Fechou-se no seu pranto e na sua tristeza
Tal era a sua raiva e a sua firmeza
Contra aqueles que o tornaram em escória.

Até que numa linda aurora boreal
A sua musa irrompeu nos seus sonhos
E num dia inesperado e invernal
O levantou do chão e dos seus escolhos.

Libertou-se da amálgama da sua armadura
E gritou vociferando contra o destino
Enjeitando o fado odioso e repentino
Que só lhe trouxera desamparo e amargura.

As sombras quiseram turbar-lhe a visão
O vento quis arreigar-lhe da sua paixão
Mas ele arrebatado clamou pela vitória
Pela vida, pelos sonhos e pela memória.

Eugénio Rodrigues - Dez.2004)
(Foto de Rosalina Afonso)

24 Comments:

Blogger Su@vissima said...

Poema com garra!!

Um guerreiro, é mesmo assim...desespera, bocifera...mas luta até ao fim :)

Bem vindo :)

Bj

4:29 PM  
Blogger Pierrot said...

Gracias Suavissima...
Palavras gentis.
Passa por aqui sempre
Bjs
Eugénio Rodrigues

5:35 PM  
Blogger Bel said...

Não conhecei mas adorei.

7:22 PM  
Blogger A. said...

...é a história de um amigo que tenho.é a história que deixei por lá.

querido Eugénio,só posso agradecer as tuas palavras.só posso deixar-te o meu abraço sincero.
muito obrigada.está longe...mas sempre por perto.
ana.

11:16 PM  
Blogger Pierrot said...

Gracias Bel...
Nem eu me conheço tantas vezes sem conta...
Bjs
Eugénio Rodrigues

12:09 PM  
Blogger Pierrot said...

Gracias A.
E não é esta a história de todos nós, once in a while...?
Já estou por cá pela Tugolândia e o longe nunca foi tão perto!
Volta sempre.
Bjs
Eugénio Rodrigues

12:11 PM  
Blogger Cherry Blossom Girl said...

Digno de um guerreiro.
Saibamos lutar pela vida, pelo amor, pelos sonhos!!!

Beijinho
***

12:14 PM  
Blogger Pierrot said...

Grande Cherry B.G.
Lindo comentário...
Sentido
Volta sempre
Bjs
Eugénio Rodrigues

12:45 PM  
Anonymous Anonymous said...

sentimentos...é por eles que lutamos...é por eles que morremos...é por eles que não desistimos...e é por eles que renascemos...

6:33 PM  
Anonymous Anita said...

ohhh, nao apareceu o meu nome!:(
Ass. anonymous: Anita

6:37 PM  
Blogger Nani said...

Muito bom... Parabéns.

Bjs grds

Nani

12:06 PM  
Blogger Pierrot said...

Gracias Anita.
Quando temos algo com o qual nos unimos numa luta, tudo basta.
Volta sempre.
Bjs
Eugénio Rodrigues

12:43 PM  
Blogger Pierrot said...

Bigada Nani.
Simpatica
Bjs
Eugenio Rodrigues

12:44 PM  
Blogger Pierrot said...

Ai as anónimas anita...
Bjs
Eugenio Rodrigues

12:44 PM  
Blogger Zélia said...

Lindo :)

Continua a escrever com a alma :)

Bjinhos :)

2:34 PM  
Blogger lisa said...

Olá, vim retribuir a visita, e gostei muito do teu blog.
Este texto está muito bonito, palavras profundas, singelas.

Voltarei.

Beijo daqui das minhas noites de lua cheia.

2:51 PM  
Blogger alfazema said...

Lindo poema! Uma maravilha. As buganvílias, adoro-as . E desta cor ainda mais.
beijos

8:07 PM  
Blogger Maresi@ said...

Ola Eugénio...agredeço a sua visita ao meu recanto e sua gentis palavras. Afinal somos "vizinhos"..do grande Porto...
Esse tema é lindissimo...e como um verdadeiro guerreiro... vais sempre à luta... Belo este espaço teu...
Voltarei breve..
Beijo Maresi@

12:00 AM  
Blogger miosotis said...

Mt sensível o teu poema!

A verdadeira metáfora do Ser 'moderno'! Um guerreiro existencial!

bjs

12:33 AM  
Blogger Pierrot said...

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena né Zélia.
Gracias e bjs
Eugénio Rodrigues

10:45 AM  
Blogger Pierrot said...

Gracias Lisa pela tua visita que será sempre registada com apreço.
E já agora, também pelas tuas palavras tão encantadoras.
Bjs
Eugénio Rodrigues

10:46 AM  
Blogger Pierrot said...

Eu amo buganvílias e também desta cor...tenho umas quantas numa das minhas varandas!
Gostei da tua visita.
Bjs
Eugénio Rodrigues

10:47 AM  
Blogger Pierrot said...

Gracias ó minha correleginária da mui nobre e bela invicta.
Gracias pelas tuas palavras.
Volta sempre.
Bjs Maresia
Eugénio Rodrigues

10:49 AM  
Blogger Pierrot said...

Oh miosotis, que surpresa a tua visita.
Volta sempre
Gracias pelas tuas gentis palavras.
Bjs
Eugénio Rodrigues

10:50 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home