My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Wednesday, September 20, 2006

Preciso sentir






Preciso Sentir

Sinto que preciso de paixão
Sinto que preciso Amar
Sinto que necessito de perder o ar,
De perder a cabeça e a razão,
De perder o apetite e a vontade para tudo,
Senão para sonhar contigo.

Sinto que sinto falta de perder o tempo,
De perder as horas esquecido num sorriso,
Algures e para sempre num olhar perdido,
Pausado por um pestanejar ingénuo e lento.

Sinto que me falta o latejar do coração
Sinto que me falta um ardor no peito,
Algo que me embrulhe o estômago a preceito
Algo que me que traga de regresso a emoção.

Assim, sinto-me como um Rei sem trono,
Como um peregrino sem trilho ou destino
Como alguém que precisa de olhar para além do corpo,
De perceber para além do semblante amorfo,
De ver mais do que a preto e branco,
De sentir a falta de uma carícia apaixonada,
De ansear pela hora de estar com a amada,
De tremer quando tiver de “te” encontrar,
De gaguejar sempre que “te” deparar.

Sinto saudade de suspirar
Sinto saudades de passar noites em branco,
De revirar e voltar a deitar
Sinto falta de me arrepiar com uma musica de embalar,
De verter uma lágrima com um filme de arrebatar
Sinto falta de me sentir triste por estar longe de ti,
De me entusiasmar com o teu “Olá”,
Com um simples olhar de soslaio,
Relampejado de uma timidez singela e exemplar
Sinto falta de sofrer no “teu” lugar.

Sinto porque sinto, porque quero,
Porque espero e desespero,
Simplesmente por Sentir.
E sinto acima de tudo,
Porque preciso Sentir.

Eugénio Rodrigues 2005
(foto de Rosalina Afonso)

90 Comments:

Blogger MARTA said...

Curioso - acabo de falar também em "sentir" no meu blog.
No fundo, não é isso que queremos verdadeiramente sentir? A essência, a raiz das emoções que provocam tal avalanche de sentimentos e nos fazem "sentir" cá dentro.
Obrigada pelo poema.
Beijos e abraços
Marta

2:05 PM  
Blogger Pierrot said...

É verdade Marta.
O sentir está na essência de tudo, mesmo quando não queremos sentir.
Ao cabo e ao resto, sentir é viver, mais do que sobreviver.
Bjos daqui
Eugénio

2:22 PM  
Blogger Elisheba said...

Simplesmente/poderosamente LINDO!!!



Bjos

2:22 PM  
Blogger Pierrot said...

Visionária:

Um sorriso do tamanho do mundo para ti... ;-)

Bjos daqui
Eugénio

3:39 PM  
Blogger Nani said...

Ainda bem que sentes...

Também preciso neste momento de sentir...

Sabes, ainda não publiquei, talvez nem publique... mas escrevi...

Olho em volta de mim
Não sou dona
De um afecto,
Um sorriso ou um abraço.

Quero sentir-te...

Tarde a tarde,
Na minha dor me afundo.
Já subi ao ponto
Mais alto da montanha,
Andei pela floresta,
Percorri todos os mares
E todos os rios.
Já subi ao céu
E andei perdida nas nuvens.

Enfim,
já-te procurei por todo o mundo
E mesmo assim
Não te encontrei.

3:45 PM  
Blogger mni said...

querido pierrot, as tuas fotos! as tuas palavras! gostei de estar aqui. bj

4:01 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Se não publicares o que escreveste acho-te que te dou uma palmada internética. É lindo, como uma casa alentejana caiada de branco, perdida algures numa planicie misturada com cores de verão e outono.
Se te encolheres, se tiveres medos tontos, então jamais "o" encontrarás.
Sobre o teu comentário, uma vénia de grande respeito.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

4:29 PM  
Blogger Pierrot said...

Mni:

Só gostava que conseguisses ver o meu sorriso agora.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

4:30 PM  
Blogger Xanusca said...

fiquei com uma lagrimita no olho...

5:05 PM  
Blogger Pierrot said...

Xanusca:

Pois é... essa lágrima é sinal que de alguma maneira também o sentes, isto é, essa necessidade latente de "sentir". E que, de alguma maneira, te fiz acordar ou relembrar para essa necessidade.
É sinal que és diferente daqueles que andam por aqui apenas a riscar dias no calendário.
É sinal que olhas para as tuas mãos, para o espelho e pensas no que vives.
Fiquei feliz com isso... e como vez, bastou uma lágrima.
Ou não fosse essa lágrima tão cara aos Pierrot's deste mundo.
Bjos daqui e gracias xanusca
Eugénio

5:33 PM  
Blogger borboreta said...

é muito bom sentir-te...aqui...
beijos de cá

5:40 PM  
Blogger Pierrot said...

Borboreta:

Um xi coração para ti com um sorriso à Pierrot
Gracias e bjos daqui
Eugénio

6:05 PM  
Anonymous temp_nua said...

No momento que escrevestes este poema, estaria vc querendo se apaixonar? Pois só quem esta apaixonado sente tudo que escrevestes.
Fazer coisas pequeninas para uns, mas inesqueciveis quando se esta apaixonado, que valem todo aquele momento.
Sentir...sentir...sentir...
O toque, o beijo, o amor em si.
Se não te apaixonou ainda, se apaixone, viva o teu momento.
No meu cantinho tbm tem um sentir rsrsr.
Um beijo
Fica bem

6:46 PM  
Anonymous temp_nua said...

Há mais uma coisa, senti em vc, uma enorme necessidade de amar neste teu poema. Lindo.
Beijos

6:53 PM  
Blogger Bel said...

Adorei o poema, muito lindo mesmo.
Eu sinto falta do embrulhar do exofago.
jinhos e boa semana

10:27 PM  
Blogger A. said...

Olá!





...acho que faz tanto tempo que preciso disto tudo.sento-me aqui,baixo a cabeça e os olhos e espero contigo.


um beijo meu querido Eugénio.

11:00 PM  
Blogger Maresi@ said...

Ola Eugénio! Deve ser de estar a chegar o Outono e com ele a nostalgia... pois "sentir" é a palavra de ordem.... e tu queres e desejas sentir ...dum modo muito profundo...

Deixo beijo suave____Maresi@

11:52 PM  
Anonymous Anonymous said...

Passando aqui para dar um olá..
Bjos


http://avassaladoraportudo.zip.net/

4:43 AM  
Blogger Pierrot said...

Temp-nua:

Por vezes o desejo de nos queremos apaixonar tem que ver com o que isso nos provoca, com as alterações no dia a dia que acontecem. Quem não gosta de se apaixonar?
Infelizmente, ou talvez não, as coisas não acontecem só porque queremos. Ás vezes, escapa à nossa vontade...
Gostei de te ter por cá.
Bjos daqui
Eugénio

11:00 AM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Sem dúvida...Amar é tão bonito
Bjos daqui
Eugénio

11:01 AM  
Blogger Pierrot said...

Bel:

Gracias pelo teu sorriso :-)
Bjos daqui
Eugénio

11:01 AM  
Blogger Pierrot said...

A:

Então "sentemo-nos" e esperemos...
Na verdade é que nestas coisas não vale a pena procurar muito.
O destino ganha vida própria e como que brinca connosco.
Então "sentemo-nos e esperemos...
Adorei
Bjos daqui
Eugénio

11:03 AM  
Blogger Pierrot said...

Pois é Maresia:

O Outono é um momento do ano fortissimo para nos sentirmos nostalgicos. Não de um local, não de ninguém, não de um momento, mas de um estado de alma. O desejo de nos sentirmos assim, por vezes, ultrapassa a própria pessoa objecti desse sentimento. Há que valora-lo também por si só.
E tens razão, foi escrito faz agora um ano e mantem-se actual.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

11:06 AM  
Blogger Pierrot said...

Avassaladoraportudo:

E foi um prazer reverte... :-)
Bjos daqui
Eugénio

11:06 AM  
Blogger Zélia said...

Sinto que tens um grande talento :)

Sinto que o teu amor tem muita sorte :)

Sinto que daqui a nada o amor te vai sorrir :)

Bjokas e felicidades :)

2:47 PM  
Blogger Pierrot said...

Zélia:

Que giro esse teu "sentir"
Pegaste muito bem no texto sabias.
Mui bien e gracias por passares por cá bem como pelo bonito elogio
Bjos daqui
Eugénio

3:04 PM  
Blogger Dafne said...

caro Eugénio
Citando Fernando Pessoa:
"O sentimento abre as portas da prisão com que o pensamento fecha a alma".
Beijos&aabraços

3:40 PM  
Anonymous temp_nua said...

Beijar um rato? aiiiiiiiii que horror, mas o sapo deve ser igualmente horrivel tbm. Sabe que não pensei no sentido de ver um sapo na minha frente, mas sim no principe que se tornaria.
Nem todas ficariam solteiras viu sapinho kkkkkkk.
Um beijo querido

3:45 PM  
Blogger Pierrot said...

Cara Dafne:

Bonita citação de pessoa.
E para não variar, não poderia estar mais de acordo...
O pensamento é o carcereiro do sentimento!
Gostei.
Bjos daqui
Eugénio

4:41 PM  
Blogger Pierrot said...

Pois Temp_nua:

Quando se pensa na historia do beijo que transforma o sapo em principe encantado, vcs esquecem-se sempre que dificilmente dariam um beijo num sapo...ou não será assim!
Bjos daqui
Eugénio

4:42 PM  
Blogger anjoedemonio said...

porque preciso sentir.
e é o sentir que comanda a nossa vida!!! sentir, sentimentos, sentidos... :)

4:50 PM  
Blogger Pierrot said...

Anjoedemónio:

Outra agradavel surpresa.
E nada melhor para o ego do que "ouvir" estas tuas palavras...
E que bom saber que "sentiste"
Bjos daqui e estás convidada para voltar sempre
Eugénio

5:27 PM  
Anonymous temp_nua said...

Pois é, tenho que concordar com vc menino, seria dificil beijar um sapo. Para os principes a coroa e para os sapos os beijos, não daria certo.
E quando me referi em fazer os principes virarem sapos, era no sentido de deixa-los livres da nossa historia e irem procurar outra princesa encantada.
Beijos com aroma de tempestade

5:52 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Certissimo...certissimo.
Vai em frente.
Bjos daqui
Eugénio

6:01 PM  
Blogger Cherry Blossom Girl said...

Sentir é sem dúvida viver!!!
"...Não importa se às vezes tudo é breve como um sopro, não importa se for uma gota só, de loucura que faça oscilar o teu mundo e desfaça a fronteira entre a lua e o sol..."

Beijinho enorme
***

6:17 PM  
Blogger Miudaaa said...

sinto que tens que sair... partir... em busca do teu QUERER. Vai, não peças licença nem a ti proprio.Vai, acredita nos teus passos, caminha com segurança e verás uma luz, que te leva aonde queres ir... ao mundo do sentir.

Vai... diz miudaaa a sorrir, com o rosto pintado de columbina.

8:54 PM  
Blogger GK said...

Faz falta não faz? Sair da letargia de vez em quando... :)

Bj.

1:58 AM  
Blogger A. said...

...eu também.muito.

4:07 AM  
Blogger BroTTas said...

e um sentimento que partilho contigo...
ja a muito que preciso de sentir...
de encontrar a minha cara metade...

lindo o teu texto...

10:11 AM  
Anonymous Mike... said...

Excelente momento de leitura!
Sente-se por aqui...
Abraço e bom fim de semana!

12:27 PM  
Anonymous su said...

Sentindo que precisas de sentir fazes esse eco ao próprio sentimento em si; esse que já existe dentro d eti com a força avassaladora do "ser humano" em estado de ebulição.
A tua Columbina ainda não vestiu as cores ricas, em diversidade, que caracerizam o seu traje? Ainda não executou o seu baile, sem par, onde desças, ao seu encontro, e a leves até à tua beira; Rainha como par de ti, Rei, afinal, com trono prometido?
Dizem que aquele que procura demora a encontrar, e aquele que encontrou não chegou sequer a procurar. Espalha a beleza das tuas palavras, como passadeira do teu coração até ao real: a tua Rainha passará por ela, colhendo as flores que espalhas, com a gentileza de uma lágrima solitária, por todas as ausências de ti até ao momento. As noites em branco guardarão a saudade e o único arrepio que restará será daqueles que lerem as tuas palavras, em louvor ao sentir/ não sentir...porque sentes!

Um poema para ti, de como se vai sentindo, com as ausências e presenças de todos nós (que também queremos sentir!):

BULA DO AMOR

por Gloria Horta

Certos amores curam.
Outros, mal comparando, são como alergia.
Basta, portanto, não chegar muito perto.
Doença ou remédio,é imprescindível saber distinguir
Quem colore a nossa vida de quem a inferniza.
Mais que isso.
Ninguém passa dos quarenta
alheio a tão importante lição de Química e Metodologia.
Saber distinguir,
com exata precisão cirúrgica,
se é hora de pular fora ou d epular em cima
é uma sabedoria mlenar sem aplicação prática,
mas extremamente rica em poética.
Um manancial de metáforas.
Também podemos ser classificados
e reclassificados
como maremoto ou monotonia.
Entretanto, todos nós gostariamos de ser,
um para o outro,
bálsamo, inferno e alegria.


xx

; )

Obrigado pelo cuidado e atenção do mito urbano que deixaste lá na Teia!Adorei e fez-me rir...de facto, na vida do dia a dia...há muitos "perros" assim! ; )

Um beijo grande e sentido aqui da Teia.

12:54 PM  
Blogger missixty2000 said...

É mesmo isso tudo.Sem alguém para amar, parece que a vida não faz sentido.
Só que ás vezes interrogo-me de que sentimos verdadeiramente a falta, do amor em si, ou da pessoa?
beijos miss

1:19 PM  
Blogger Pierrot said...

C.Blossom Girl:

Cara conterrânea, adorei o teu texto.
Lindo.
Fez lembrar aquela frase de N.Cage, em City Of Angels, que diz que trocaria a eternidade por um único momento em que lhe pudesse cheirar o perfume ou tocar um unico fio de cabelo.
Amei.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Miudaaa:

A tua escrita tão fresca, tão alegre e jovial é contaginante sabias.
Até o boneco se assemelha à Columbine... eheh.
Quanto a partir, saio e regresso todos os dias ;-)
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:20 PM  
Blogger Pierrot said...

Gk:

Então não faz...
Faz falta sentir essa falta, por exemplo...
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:21 PM  
Blogger Pierrot said...

A:

Então já somos dois A.
Gostei desse sorriso.
Bjos daqui
Eugénio

2:22 PM  
Blogger Pierrot said...

Brottas:

Gracias amigo...
E quem não precisa de encontrar aquilo para que existe, seja lá o que isso for...
Abração
Eugénio

2:23 PM  
Blogger Pierrot said...

Mike:

Gostei de saber que tens este cantinho como uma espaço teu de leitura.
Volta sempre e senta-te por aí...
Abração
Eugénio

2:24 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Deixas-me sem palavras sabias...
Fico completamente desarmado da cabeça aos pés perante tamanha sagacidade.

O poema é lindo e como eu não o conhecia, ne tão pouco Gloria Horta, a autora, pronto, já ganhei qualquer coisa hoje.
Curioso que quando leio as outras palavras, acho-as sempre tão bonitas, tão mais expressivas e redondas que as minhas. Giro...

É verdade que o Amor e as suas enormes metáforas, tudo mudam ou não. O sentimento pode até estar lá, mas tal como o vento, pode ser aproveitado ou não, pode significar algo mais do que um simples ondular para o cabelo ou não...
Gostei mesmo muito das tuas palavras:

"Entretanto, todos nós gostariamos de ser,
um para o outro,
bálsamo, inferno e alegria."

Boa...
Bjos daqui e grato, sempre grato por "pintares" este espaço com a tua "cor".
Eugénio

2:31 PM  
Blogger Pierrot said...

Missisxty2000:

Que giro ter-te por cá.
Mais uma "cara" nova e é tão bom ler palavras sempre diferentes.
Sobre o que escreves, bom, ora aí está mais um axioma indecifrável.
Sinceramente, acho possível sentir falta do amor sem que ele tenha rosto, e sentir falta de um rosto sem que sinta esse amor. E mais já não consigo vislumbrar.
Bjos daqui e volta sempre para nos sentarmos a ler ;-)
Eugénio

2:34 PM  
Blogger Pierrot said...

C.Blossom Girl:

Cara conterrânea, adorei o teu texto.
Lindo.
Fez lembrar aquela frase de N.Cage, em City Of Angels, que diz que trocaria a eternidade por um único momento em que lhe pudesse cheirar o perfume ou tocar um unico fio de cabelo.
Amei.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:41 PM  
Blogger Pierrot said...

Ups C. Blossom Girl:

Lá foi uma resposta repetida...
Sou um autentico analfinternético
Eugénio

2:42 PM  
Anonymous su said...

...mas não são a soutras palavras que comentamos! São as tuas e isso deve dizer alguma coisa, não?! ; )

xxx

Adorei o final que acrescentaste à Mensagem da Teia. Grata fico eu pela "pintura" num dos fios da Teia.

Um beijo em fio. : )

4:11 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Eu sei que foram as minhas palavras que comentamos, porém, fizeste-o com outras palavras tão bonitas que por vezes me sinto agradávelmente pequenino mediante tanta inspiração, tanta capacidade para adjectivar sentimentos.
E não é falsa humildade...mas sim admiração pura e simples.

E ainda bem que gostaste do pequeno final que "pintei" com esta aguarela por vezes mais gasta mas sempre com um sorriso.

Bjos daqui, de um pierrot sorridente para uma teia plena de arte.

Eugénio

5:06 PM  
Blogger vero said...

Belo, belo, belo....
ADOREI!!!! sIMPLESMENTE ENCANTADOR MEU QUERIDO AMIGO!!!
Beijinhos doces***

7:57 PM  
Blogger motormotor said...

Muito bonito, sim senhor!
Gostaria de saber escrever assim...

8:02 PM  
Blogger Pedro Gamboa said...

Muito bonito, aposto que foi escrito de tirada, como quando bebemos de repente, cheios de sede…

12:30 AM  
Blogger dreams said...

o sentir faz-te perceber que estás vivo...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

3:01 AM  
Blogger Mina said...

A falta que nos faz "Amar"... os sentidos estão todos lá, as reações são essas todas...
Um belíssimo poema!
Há surpresa no Space... foi com boa intenção :)
Bom fim de semana, beijoca!

10:15 AM  
Blogger Vénus said...

Sem dúvida que o amor é a senhora das vontades, o deus dos desejos, as pedras que traçam o nosso caminho, a nossa alma mais pura....

Ama... a ti, a vida, quem encontrarás para amar... ai o amor... essa coisa poderosa... que move montanhas e faz as estrelas caírem do céu... ai ai... fizeste-me suspirar... Obrigada

Mas que texto! Sim senhor...

Um beijo enorme ao poeta

1:25 PM  
Anonymous temp_nua said...

Vim te deixar um beijo e desejar um fim de semana delicioso pra vc.
Beijos com aroma de flor

2:36 PM  
Blogger Pierrot said...

Vero:

Que bom saber que gostaste e que estas palavras também te encantaram.
Gostei de te "ver".
Bjos daqui e volta sempre
Eugénio

2:46 PM  
Blogger Pierrot said...

Motormotor:

Porque não experimentas ou quiça já o fizeste mas achas que não te expressas tão bem como pensas?
Anyway, gostei de te ter por cá, pois és mais um rosto novo neste cantinho.
Volta sempre
Abraço
Eugénio

2:48 PM  
Blogger Pierrot said...

P.star:

Nem mais...
Cá para mim tens um dedo que adivinha.
Isto era como que uma coisa que me estava entalada há anos na garganta e de repente, resolvi explodir e mandar para a luz tudo que me ia na alma.
Gostei de te ter por cá.
Abraço
Eugénio

2:50 PM  
Blogger Pierrot said...

Dreams:

Sentir é acima de tudo estar vivo, estar diferente e não apenas sobreviver.
É querer ter tudo e nada o mesmo tempo.
É uma embolia de sentimentos.
Que saudades que já tinha tuas.
Bjos daqui e volta sempre
Eugénio

2:52 PM  
Blogger Pierrot said...

Oh Mina:

Gracias por teres passado por cá e que bom teres gostado.
E descansa que vou já já ao teu cantinho.
Bjos daqui
Eugénio

2:54 PM  
Blogger Pierrot said...

Vénus:

Assim habituas-me mal carambas.
Não pensei que o pessoal desse tão bom feed back, acredita.
E que forma mais bonita de o fazeres dando uma palavras tão catitas e tão inspiradas.
Adorei.
Bjos daqui
Eugénio

2:56 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

És sempre uma querida sabias.
Bom fds para ti também e cuidado com os principes que se transformam em sapos ehehe!
Bjos daqui
Eugénio

2:57 PM  
Blogger Luna said...

No fundo todos queremos esse sentir, não é o amor a mola da vida, o que nos faz caminhar?quando se parte ficamos perdidos
beijinhos

3:05 PM  
Blogger Pierrot said...

Luna:

Bingo.
Uma vez mais em sintonia.
Felizmente que já somos muitos, uma autêntica legião a pensar dessa maneira.
Bjos daqui
Eugénio

3:07 PM  
Anonymous su said...

Volto a este teu belíssimo tópico, não querendo exagerar a continuidade do mesmo..a propósito da do Pierrot e da Columbina...as Columbinas também "vivem" sós e, apesar da diversidade de cores do seu trajo, este também pode ser descolorido!
Lembrei-me disso, sem sequer ser por olhar a vida, mas por reler esta coisa "antiga":

AMATEUR
Que aconteceu?
Que aconteceu ao sol
Que já não aquece?
Às vezes
Sonho acordada.
Sonho o que procuro viver.
Fecho os olhos e sorrio.
Como já não sinto o frio
Dos braços da realidade.
Sonhar...querer.
Do desejo
Nasce o nevoeiro.
Aquele que não me deixa ver
O que quero e o que tenho.
Cerca-me
A mentira de uma vida.
Cambaleando
Volto a dançar
com um fato de Columbina,
Descolorado,
Sem Pierrot
Danço sozinha.
Sou tomada
Por velocidades
De esperança.
Dá-me um sonho, Pierrot.
Dá-me cor ao meu vestido.
Dá-me cor à minha vida.
E quando a lua nascer
Trocamos beijos
Trocamos amor,
Juntamos mãos
Juntamos corpos.
E continuamos a nossa valsa.
Agora lentamente,
Que eu quero o sonho eterno.
E quando a música
chegar ao fim?
Alimento-me de quê?
Mera imagem que restou...
Acompanhando ilusões.
O sino soa a falso
Quando anuncia a realidade.
Como vivo?
Em rotações estonteantes
De encontrões desconhecidos.
Mais uma vez a multidão...
Plena de nada
Mãos cheias de nada
Junto à praia
Semeiam conchas.
Pequenos subterfúgios
Onde se encontram suspiros.
Sob um guarda-sol
Esconde-se a partida.
Dor antiga.
Tão bem a escondeste
Que a sinto como a primeira vez.
Desenho instantes
Para coleccionar.
Quero lembrar-te para sempre
Na vida que tiver.
E o grito que cai por terra
É um verbo inacabado:
“Eu queria...”
O que é que toca a minha mão?
É o gelo
Que me começa a tomar por solidão.
O que é que eu sou?
O que é que eu sei?
Que o meu mundo me foge pelas mãos...
Aquelas que tomaste...
E agora abandonas...

xxx

Um beijo vindo da madrugada.

2:20 AM  
Blogger Su@vissima said...

É urgente Sentir!
É urgente o Amor!

(Parece que navegamos em mares de "sentires" pierrot!...mais uma vez)

Sabes que este poema, é de uma beleza, "universalista", não sabes?

Um beijo daqui

10:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Ora essa Su.
Volta sempre pois já sabes que és sempre muito bem vinda.
Há montanhas de Columbines neste mundo e por muito que se "vistam", por muito que se "pintem", a Columbine só será a nossa Columbine quando os olhos se cruzarem e virem para além das cores e das pinturas. E por vezes esse cruzar de olhos pode não acontecer nem na 1.ª nem na enésima vez que se cruzem, o amor também pode ser algo construído.

O poema que me "ofereces" é tremendo. Foi bem dentro, bem fundo, como que um inalar enebriante.
Columbine, porque te enfadas?
Envio daqui um sorriso para ti.
Sei que não é muito mas é algo de verdadeiramente sentido.
És aquela que foi deixada para trás,
só e a arder em solidão.
Já fui um valente Columbine
e escolhi o silêncio.
Não sei se escolhi bem
mas foi a minha escolha
e se ficaste para trás
também eu fico para trás,
pois o silêncio em ti
é o silêncio em mim.
Uma Columbine não faz sentido sem um Pierrot,
nem um Pierrot sem Columbine.
Peço-te desculpa com um sorriso
De quem vê finalmente o caminho
Já fui um pequeno rapaz
Que se aguentava apenas em pontas dos pés
Mas cujos os braços seguravam a vida
E te devolviam o amor, Columbine.

(...)

Adorei Su, uma vez mais

Bjos daqui
Eugénio

6:22 PM  
Blogger Pierrot said...

Suavissima:

Não sei se entendemos o sentido "universalista" da mesma forma porém, creio que toda a gente o sente mais ou menos da mesma forma. Apenas me limitei a dar-lhe forma, a adjectiva-lo, da forma mais realista possivel.
Sem duvida que a forma dos nossos sentires se cruzam nesta poesia, e muito me honra saber que de alguma maneira, te possas rever nele.
Um dia destes, escrevemos mais um ensemble.
Bjos daqui
Eugénio

6:26 PM  
Anonymous su said...

"...quando o homem sonha o mundo pula e avança como uma bola colorida nas mãos de uma criança." O sonho pode ter as cores que se quer, as barreiras não têm sentido, o Tempo manifesta-se de outra forma e o peito de quem sonha enche-se de coragem. O mundo está nas mãos de quem o segura,no sentido de quem o "agarra"/ vive!
Boa resposta em termos de frase à que retirei da peça de Shakespeare...mas é um facto, o sonho pode estar em qualquer lugar. Basta querê-lo!

Esta Columbine retirou as cores do vestido há muito tempo e observa no escuro da noite o brilho da sua aproximação. Entretem-se a diferenciar, por esse mesmo brilho, qual é a diferença entre as estrelas e a esperança.
Esta Columbine pegou sem ser por acaso num livro que anda à beira de O Principezinho, chamado O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado (destes livros que pensam que sabem enganar, fazendo-nos crer, em vão, que são apenas mais uma história para crianças), e antes do início vem escrito:
"O mundo só vai prestar
Para nele se viver
No dia em que a gente ver
Um gato maltês casar
Com uma alegre andorinha
Saindo os dois a voar
O noivo e sua andorinha
Dom Gato e dona Andorinha"
( e por falar em gatos, também podias enviar a foto do teu felino para a Teia?!)

O Pierrot sabe ver para além das pinturas das Columbines pois senão não diria "Preciso Sentir" desta forma...

Agora, o sorriso poético que ficou nas palavras que largaste...como podes dizer que sabes que não é muito?! Falavas de poema oferecido enebriante?!Pois o que deixaste em troca senti-o de igual forma. Lindo. Lindo.
Sonhar é o autêntico refúgio daquela que se veste de cinza e guarda o vestido no armário! Reinventa as palavras de modo a cobrir ausências e a própria realidade.
E quanto a ti, Pierrot reconstruído...
Recupera a visão do caminho desse rapaz que tens e que sabe chegar à sua Columbine.

Um beijo da cor da bola colorida nas mãos de uma criança.

1:27 AM  
Anonymous su said...

Faltou dizer ou sublinhar com palavras que o sorriso é imenso e a aguarela com que pintas as palavras não é gasta; pelo contrário, bastante rica.

1:31 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Ó pra mim corado ;-)))
Bjos daqui, desta primavera que teima em ficar.
Eugénio

12:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Não paras de me surpreender, 70 vezes 7...

Esse livro de que me falas há-de ser mais um para a minha restrita de livros urgentes para ler. Curioso que a história bem como o titulo me faz lembrar um outro, bem pequeno que li, chamado, penso eu, "O gato e a gavoita que o gato ensinou a voar", de G.G.Marquez. Não tenho bem a certeza do titulo e da autoria pois já o li hà anos mas foi brutal. Como tu dizes, quer-nos fazer crer que é para crianças, e afinal, é um poço de lições de vida, que os adultos deveriam ter em todos os espelhos de casa.
O teu post bem como os teus elogios são desconcertantes, pela positiva claro está. É bom saber que somos "apreciados". Inevitavelmente, faz bem ao ego e faz perdurar a primavera que sempre há em nós.
E hoje não haverá, por certo, um Pierrot de lágrima, mas de um sorriso sem máscara pois hoje erradia o seu proprio brilho, sem espelhos ou biombos.
Quanto ao meu gatolas, vou enviar-te uma foto ou outra. Espero que gostes...
Bjos daqui e uma enorme vénia...
Eugénio

12:28 PM  
Anonymous su said...

Penso que será O Gato que ensinou a Gaivota a Voar? De Luis Sepúlveda?! Mas olha que também não tenho a certeza...ando há muito tempo para ler esse livro...deve estar para breve. Por falar em livros já deixei a "lista afixada" na Teia dos livros que andamos a referir no questionário literário...e deixei no final do tópico um cantinho que de ceretza vais "amar"! ; )

Não costumo desconcertar...mas gosto de apreciar. ; )

Fico à espera do teu gato, então! : )

Um beijo em fios de seda!

1:56 PM  
Anonymous su said...

...ah...e de certeza que hoje então o teu sorriso é único...como os momentos, como a cor dos sonhos! Assim sim...Pierrot colorido.

Outro beijo.

1:57 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

:-) este é o sorriso de mil cores sim

Nem mais, Sepulveda...isso mesmo, ams quanto ao titulo, vai por mim, creio mesmo que é mais caricato, tal como eu disse.
Vai por mim. Lês num dia, ou numa noite de insónia.
Bjos daqui
Eugénio

2:23 PM  
Anonymous su said...

Vou por ti, então...se leio numa noite de insónia...então teria sido bom e deve continuar a ser para estes dias...

Olha...o Angel é lindo de morrer! Sorte do Pierrot que tem um amigo tão adorável em sua companhia! : )

Uma paixão!

7:40 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Arrebatador.
Estar aqui.
A sentir isso.
E vir aqui já não sei como.
E ler isto.

3:08 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Acredita que não te arrependerás.
Quanto ao Angel, o sacana é um verdadeiro gato eheheh e uma companhia de grande cumplicidade.
Bjos daqui
Eugénio

3:35 PM  
Blogger Pierrot said...

Estranha pessoa esta:

Que bom ter-te por cá, neste cantinho que também é teu.
E folgo em saber que gostaste.
Volta sempre
Abraço
Eugénio

3:36 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Olha voltei outra vez para sentir outra vez este sentir.
Faz-me bem!
..

4:36 AM  
Blogger Pierrot said...

Estranha pessoa esta:

Volta sempre que quiseres.
Este site não porta, não tem fronteiras nem barreiras.
É um cantinho livre onde cada um diz o que quer.
Gostei de te ver nesse "sentir".
Bjos daqui
Eugénio

12:10 PM  
Blogger RealSmile said...

lindo! adorei a forma como expuseste esta falta de sentir. é algo que realmente todos nós sentimos a falta, pelo menos em algum momento da nossa vida.. e é tão bom! cada pequeno acto, momento, sorriso ou olhar tem uma essência incalculável :) é a magia do amor *

4:27 PM  
Blogger Pierrot said...

Realsmile:

Conseguiste resumir tão bem este meu Sentir.
Parabéns e gracias pelos teus comentários
Bjos daqui
Eugénio

2:31 PM  
Blogger mile said...

Adorei tudo isto, sinto-me lisonjeada por estár numa época de poétas que sabem oque é o sentir!!
preciso muito sentir, sentir-me segura referente a mim, ao meu namorado e até mesmo aos meus sentimentos!!
Vocês são uma grande inpiração para toda a sociedade especialmente para mim que também tenho meus poemas, mas tenho medo de mostrar o meu tralho e ser julgada de forma negativa!!!!!!!
Amei e estão de parabens!!

11:30 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home