My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Thursday, October 12, 2006

Segredos de uma Alma transparente





Porque hoje me sinto algo cinzento e vazio, nostálgico até... não obstante o bonito dia que me entra pela janela.
Porque às vezes acordamos assim, sem perceber bem porquê, sem alcançar porque respiramos ou porque andamos!

Segredos de uma alma transparente

A imensidão vazia de um deserto
Assola sem perdão o meu pensamento.
Olho mas não vejo.
Quero mas não desejo.

Levanto-me, respiro e sobrevivo
Mecânico, dolente e repetitivo
Qual ondas de um oceano
Que pausadamente se cospem na areia.
(...)

Despenho-me e caio das alturas
Sem esboçar a mínima resistência,
Sem agarrar os ramos de arvore,
Rendendo-me ao vil e traiçoeiro destino.

Todos nós esperamos pela nossa hora.
De nada serve desesperar.
Em nada adianta uma luz inventar,
Ou com vãs esperanças sonhar.

Quanto mais alto sonhas,
De mais alto cais.
A alegria é alucinógeno,
O seu efeito é anestésico.

A felicidade é uma triste ilusão
Que o tempo e as pessoas limitam,
Como um qualquer capricho que se desvanece,
Como a luz do por do sol que definha.

(...)
Caem estrelas do céu.
Todos os dias o sol se põe.
Os pássaros esvoaçam pelos sete ventos,
Enquanto eu tropeço na minha própria existência.

Era uma vez uma vida inteira,
Que se esfiapa como lã de uma urdideira,
Que se desfaz como areia ao vento,
Que se derrete em lágrimas de chuva.

Tu nunca me buscaste,
E eu nunca te procurei.
Sôfregos num mar de equívocos,
Afastados por uma montanha de nada.
Eugénio Rodrigues - 2003
(foto de autor desconhecido)

52 Comments:

Blogger Isabel said...

A felicidade são momentos...
Não importa quantos...
Todos esses momentos em quanto esperamos a nossa hora maior... porque horas nossa temos muitas.
talves o momento da nossa hora maior seja o momento da verdadeira equação. O momento em que a vida inteira nos passa pela memória, talvez aí nesse momento saibamos dizer se fomos felizes ou não. Apenas aí no momento das contas finais.

Não estará na hora de a procurares?
Não estará na hora de tornar o mar de equivocos num mar de verdades?
Não estará na hora de ser sofrego de momentos felizes?

É hora! É hora!

Isabel

1:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Isabel:

Gracias pela forçinha.
Deixa que ao menos por um dia seja um relapso e te diga que talvez amanhã começe a pensar na "hora" que talvez seja a minha.
Comentário pujante cara amiga.
Bjos daqui
Eugénio

3:26 PM  
Anonymous Anonymous said...

Passando aqui para deixar um beijinho...

http://avassaladoraportudo.zip.net/

4:10 PM  
Blogger Pierrot said...

Avassaladoraportudo:

Bjinhos também para ti.
Eugénio

5:07 PM  
Anonymous Anonymous said...

Olá...A Alma não tem segredos, o fisico sim gostaria de...
Os momentos são tão efemeros, á pois que vivelos ir ao encontro de...
Felicidade, tão almejada por todos, muitas das vezes reside ali mesmo ao osso lado e, dexamos que passe...Agradeço a delicada visita__________deixo meu outro rasto, Cõllybry
Ps o link não estava completo, dava erro...

7:06 PM  
Blogger Nani said...

Eugénio, há dias assim... percebes agora a razão do meu poema... à dias que por mais que o sol brilhe, não nos consegue animar... momentos de desânimo...

Mas sei que devemos sempre sorrir, mesmo que a vida não nos esteja a sorrir... sei que é dificil... sim, eu sei... ninguém disse que era fácil... a vida não é fácil... ainda bem... assim dá-nos mais gozo vive-la...

Passei por uma fase menos boas, ou melhor estou a passar... e tenho-me esquecido de sorrir... mas não me vou voltar a esquecer... por muito que custar, tenho de sorrir... sorrir... sorrir...

Porque não sorrir vai resolver alguma coisa...?

E agora estou a sorrir...
Porque sei que a minha fase vai passar... e a tua também... sim eu sei...


Um abraço enorme

Por enquanto não vou colocar nenhum post novo, mas deixei-te um carinho ao teu comentário...

Nani

10:39 PM  
Blogger Nani said...

Deixo-te de novo um poema que ainda não publiquei... mas vou publicar, digamos que estou à espera da altura certa... Espero que gostes...



" Momento de desanimo


Há dias assim…

Não sei onde estou,
Não sei para onde vou.

Mais um dia
Que o mar e o horizonte
Esconderam.
Mais um dia
que a minha liberdade beberam
E a lua me tiraram.
Mais um dia sem momento,
Sem um sorriso,
Sem um abraço.
Mais um dia de tormento.
Mais uma noite de trabalho
Onde luto contra o sono e o cansaço.

Mas a vida também é feita destes nadas… "


(Mas por vezes um sorriso, um abraço, um mar e um horizonte, um minuto de liberdade ou de lua, basta para ter valido a pena!!!)

Nani

10:42 PM  
Blogger mnemosyne said...

Trepa a pena por escarpas a prumo, resvala na crespa ondulação das águas que na alma marulham, lateja, bate e ruge versos de aroma salgado.
Um poema de extrema sensibilidade ... talvez por já ter provado o gosto das tuas palavras tocou-me profundamente...
deixo-te um beijo, um sorriso e um abraço bem apertadinho

9:34 AM  
Blogger Maresi@ said...

Ola Eugénio...
Agradeço a visita e as palavras simpáticas.
Embalei-me na música e nas palavras nostalgicas nesta manhã de Outono de som e cor...

A vida é composta de momentos bons e maus... Há que saber esperar..

Beijo suave_______Maresia

9:38 AM  
Blogger MARTA said...

Curioso - também me sinto assim - desiludida, triste e com vontade de desistir.
Nem o sol nos consola - sente-se que perdemos qualquer coisa e muitas vezes não sabemos exactamente o quê.
Brilhante, adorei.
Beijos e abraços
Marta
P.S.: Tenho um desafio/campanha no meu blog. Não queres participar?

10:35 AM  
Blogger mni said...

Então?! vamos lá levantar e continuar! ou recomeçar! ou, ou ,ou...
beijos.

11:03 AM  
Blogger Pierrot said...

Collybry:

Tens razão.
Por vezes temos um elefante à frente dos olhos e procuramos debaixo do tapete...
Bjos daqui e gracias
Eugénio

1:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Lindissimo poema.
Brutal diria.
palavras tão curtas e tão incisivas.
Já que o postaste por aqui espero que o coloques na vitrina, ou seja, no teu blog.
A mim disse-me muito. E quanto honra te-lo por cá.

Sobre o sorriso, de facto, de que nos serve não o ter...
E até ficamos mais bonitos assim.
Bjos daqui
Eugénio

1:22 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Quase me esquecia.
Um obrigado e um abraço enorme, do tamanho do mundo, pelo poema!

;-)

Bjos daqui
Eugénio

1:23 PM  
Blogger Pierrot said...

Mnemosyne:

Estas palavras vindas de alguém com um blog como o teu, só me pode encher de orgulho.
As escarpas são duras e altas...
O vento deita-nos constantemente ao chão...
O frio corta-nos o rosto e gela-nos os dedos...
As vezes apetece desistir mas não pode ser...
Há que levantar e continuar a subir.
Bjos e gracias daqui
Eugénio

1:26 PM  
Blogger Pierrot said...

Maresia:

Gostei da tua espreitadela.
Gostei do teu olhar de quem vê e sente.
Bjos daqui e gracias.
Volta sempre
Eugénio

1:27 PM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

Pois é, o ser humano é muit parecido, por muito diferente que seja.
E lá irei responder ao teu desafio.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

1:28 PM  
Blogger Pierrot said...

Mni:

Ai Mni, ás vezes não apetece mesmo.
Ficamos simplesmente sentados no escuro, como se estivessemos de castigo.
Mas logo logo sorrio...
Bjos daqui
Eugénio

1:29 PM  
Blogger Zélia said...

Hoje podes tar mais cinzento, mas amanhã vais estar cheio de côr,ou pelo menos acredita que sim :)
Eu acredito por ti :)

Beijinhos :)

2:23 PM  
Blogger Su@vissima said...

A nostalgia de Outono...a nostalgia do "olhar" e a do "sentir".

Depois de ler este poema da tua alma bonita...e de o afagar, só me resta dizer-te: Abre a mão...ofereço-te um pedacinho da minha "luz"...(sorrindo)

Um beijo daqui.

3:27 PM  
Blogger Isabel said...

Lembro-me que gostaste da outra história que escrevi para a Carolina. vem ler mais uma. se ainda te sentires cinzento vai-te fazer bem.

Espero que gostes.


Isabel

4:14 PM  
Blogger Miriam5 said...

Olá vim ler-te e como sempre deleitar-me com as palavras e imagens, críticas cinematográficas, enfim.
O meu último post foi inspirado pelo titulo do teu "era uma vez", espero que não te importes.
Um beijinho e dom fim-de-semana

4:29 PM  
Blogger Pierrot said...

Zélia:

Quero crer que sim...
Também espero que sim...
Gracias pelas palavras
Bjos daqui
Eugénio

6:40 PM  
Blogger Pierrot said...

Suavissima:

Já a vejo...a tua mão como que estendida, efervescente de luz, que me toca e me aquece.
Bonita imagem a tua
Bjos daqui
Eugénio

6:42 PM  
Blogger Pierrot said...

isabel:

Já a li e amei.
Tu mimas a carolina ;-) e fazes bem!
Bjos daqui
Eugénio

6:44 PM  
Blogger Pierrot said...

Miriam:

Claro que não me importo, bem pelo contrário.
Aliás, já lá fui espreitar e sem falsas modéstias te digo que está muito melhor do que o que eu escrevi.
Muitos parabéns
Bjos daqui
Eugénio

6:45 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Meu menino Eugenio, eu sei muito bem como é, as vezes procuramos algo que nos faça feliz, que dê sentido para o que fazemos, um motivo pra levantar, olhar o dia e sorrir e não o encontramos, talves estejamos agarrados em algo que pensamos nos fazer feliz, mas não nos completa.
"Tu nunca me buscaste,
E eu nunca te procurei."
Não esta na hora de procurar ou se deixar encontrar?
Um beijo com carinho pra vc.
Espero que fiques bem
Temp_nua

7:58 PM  
Blogger Mina said...

Há dias assim. Muitas vezes sem explicação, sentimos o passado ou algo que gostaríamos que tivesse sido, a invadir-nos.
Mas também sabes que dias melhres virão certamente :)
Bom fim de semana, astral para cima! ;)

11:04 AM  
Anonymous su said...

Há mais coisas em nós que têm mais força que o brilho do sol quando nos aquece à sua luz avassaladora. Muitas vezes, vestimos a capa do Invernal como subterfúgio de nós mesmos, como se esta auto-defesa composta de malhas de indiferença conseguisse mais do que deixarmos a alma abertaa secar ao sol.
Mergulhamos as horas do quotidiano em estagnação e deixamos ir este corpo ao sabor do que aparece ou não aparece, sabendo de antemão que tudo no final nos saberá ao mesmo. Não esperamos mais do que isso.
A felicidade dos outros são pedras estrondosas e ríspidas que fazem eco doloroso na parte intelectual da mente...não por mal, apenas por incómodo. Apenas porque o vazio que se estende dentro de nós mesmos é mais forte do que aquela luz bonita que entra pela janela...

Há momentos assim...em que nosapetece não apetecer nada. Mas olha, provavelmente quando voltares a ler tudo isto já terás a janela aberta e um novo conjunto de palavras ensolaradas prestes a saltar para mais um fabuloso texto teu.

Deixo-te um beijo ensolarado.

12:38 PM  
Blogger Pedro Gamboa said...

Bonito, existe paz aqui...

Abraço

5:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Furia das Aguas:

Ele há dias assim...não faças caso.
Felizmente que tudo passa e infelizmente tudo volta.
Bjos daqi e gracias
Eugénio

11:06 AM  
Blogger Pierrot said...

Mina:

Para não variar, estás plena de razão.
Melhores dias virão.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

11:07 AM  
Blogger Pierrot said...

Pedro Gamboa:

Obrigado pela tua visita.
Gostei que te tivesses sentido bem.
Abraço
Eugénio

11:08 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

É verdade que os dias ou as noites vão mudando os saboras da vida.
E é verdade que não obstante o dia horrivel que esta 2.ª feira nos traz, ainda assim é em tudo melhor que o outro dia solarengo.
E assim vamos andando ao sabor do destino e dos ventos, lutando contra a rotina para que esta não nos esmague.
Bjos daqui e tudo de bom para ti Su, nesta semana que começa.
Eugénio

11:11 AM  
Anonymous su said...

Então para quebrar a rotina, a tua e a minha (que estou no meu local d etrabalho e é a primeira vez que "me ligo ao mundo virtual aqui por estas bandas"...para quebrar a rotina do dia de hoje que se manifesta cinza e molhado...vamos imaginar que é um cinza desmaiado do sol que existe de facto e que está a brilhar mais suave para não incomodar tanto...vamos imaginar que a chuva são deliciosas gotas que refrescam a rotina do dia a dia, pequenas gargalhadas que anima e entrecortam o dia de hoje...
Vamos imaginar que o sonho é real e o real passa a ser o outro adiado...e que o Tempo passa mais depressa assim...nos corredores do quotidiano!!

:)

Um beijo "alfacinha", porque é por cá que me encontro neste dia cinzento.

:)

Anda para breve um Angel a sobrevoar a Teia...breve mesmo!!

;)

11:15 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Imaginemos então...
E que o sonho voe...
Bjos daqui
Eugénio

11:19 AM  
Blogger Ni said...

Olá...

Há dias em que um momento parece infinito... seja por algo bom ou o inverso... sentimo-nos prisioneiros no labirinto dos passos apagados e não sabemos (ou não queremos) voltar a nós.

Sabes, cada momento é um Universo... cabe-nos a nós seguir a rota dos pássaros que transportam nos voos os campos do estio, e assim anularmos a solidão e o frio... e o vazio. Aquele vazio que grita o nosso nome e se nos cola à alma.

Somos construtores do nosso dia, do nosso real. Delineamos no nosso pensamento as nossa vivências. (Céus... como isto é esquecido!)...

E ainda que, por vezes, nos falte o sol e o sal da vida... vamos em frente... porque ao virar da esquina, já ali, tudo volta a ser um mundo de possibilidades de escolha.

Sorriso.

Abraço de vento.

Ni*

11:28 AM  
Anonymous su said...

OLha que os desarrumadores somos nós até que tenhamos consciência deles dentro de nós mesmos!!

; )

Venha a tua "ordem"!!

Outro beijo de fio em fio!

11:46 AM  
Blogger Viola De Lesseps said...

Meu caro Eugénio, antes de mais agradeço a tua visita ao meu "Cartas". As tuas palavras...magnificas! Um grande Obrigado!
Quanto a este teu "cantinho" mergulhei nele e ... AMEI!
Voltarei com toda a certeza!

Um grande beijo

Viola L.
xx

12:32 PM  
Anonymous temp_nua said...

Oi querido Eugenio, vim desejar-te uma ótima semana. Que esta semana vc acorde olhando o céu sempre azul, que o cinza e o vazio tenha passado.
Um beijo e fica bem.
Temp_nua

1:59 PM  
Blogger Pierrot said...

Ni:

Definitivamente, o tempo ou a forma como evoluímos nele está em nós, na nossa cabeça, na nossa disposição.
O tempo, apesar de quantificado, passa por nós como nós queremos. Nestes tempos tenho reflectido um pouco sobre isso chegando sempre a essa conclusão.
Só que não existimos sozinhos e tal como eu controlo o meu tempo, outros controlarão os seus e quando as várias pessoas se cruzam, as coisas acabam por escapar ao dito controle.
Enfim, algo de muito complexo que dificilmente se explica por palavras.
Gracias pelas tuas palavras.
Bjos daqui
Eugénio

3:17 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Eu se que os desarrumadores somos nós...
Se sei...!
Bjos daqui
Eugénio

3:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Viola:

Gostei que tivesses amado cá estar e te tenhas "entretido"
Volta sempre
Bjos daqui
Eugénio

3:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Tal como as coisas boas não são tão boas como pintamos, o mesmo sucede com as menos boas...
Bjos daqui e gracias.
Uma boa semana para ti também.
Eugénio

3:21 PM  
Blogger MARTA said...

Olá, vim agradecer a tua visita.
Adorei os comentários, sempre gentis...
Obrigada por tudo..estou a caminhar novamente...
Beijos e abraços
Marta

4:25 PM  
Blogger Dafne said...

Olá
Passei por aqui para dizer um olá e desejar uma óptima semana de trabalho.
Quanto ao teu post, eu já me tinha apercebido que és uma "alma transparente" :)...
Um xi grande

4:39 PM  
Blogger Isabel said...

Vinha à procura de mais um dos teus escritos, voltarei. Eu hoje estou um pouco nostalgica pois escrevi sobre o meu pai... o homem que conheço que melhor consegue aliar a sabedoria à sensibilidade... gostava que o mundo inteiro soubesse o maravilhoso pai que tenho... escrever-lhe é a minha forma de lhe erguer uma estátua

4:48 PM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

Então hoje é um dia bonito.
É sempre bom ver que os outros caminham, mesmo quando nós próprios nos sentamos para descansar um pouco.
Caminha, e não olhes paa trás.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

5:55 PM  
Blogger Pierrot said...

Dafne:

Quem segue neste mundo, pensando, reflectindo, vendo e não apenas sobrevivendo... naturalmente acaba por entender melhor os outros.
E claramente é o teu caso, pois pelo que deixas escrito no teu blog, és alguém sensível q.b.
Bjos daqui
Eugénio

5:57 PM  
Blogger Pierrot said...

Isabel:

Infelizmente nem sempre tenho tempo para escrever o que vejo nos outros, o que vejo em mim.
Pudera eu ter esta vida e, quiça, seria feliz.
Morto de fome mas feliz ;-) ...
Passarei pelo teu cantinho para te ler, por certo!
Bjos daqui
Eugénio

5:59 PM  
Blogger Bel said...

Adorei a imagem.
A felicidade não sera jamais eterna, embora seja eternamente procurada.
um beijo e lindo poema ocmo smepre

9:33 PM  
Blogger Pierrot said...

Bel:

Gracias e tu tão carinhosa como sempre.
Bjos daqui e bom teres gostado
Eugénio

1:29 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home