My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Wednesday, October 04, 2006

Zombarias do Destino




Este post tem uma única justificação.
Queria de alguma maneira mostrar a minha revolta, ira até, com as injustiças que por vezes são inevitáveis.
No caso concreto, sinto-me profundamente incomodado com a injustiça de que um constituinte meu foi alvo, não tanto por uma má decisão judicial, mas pelos formalismos processuais que tudo fazem depender dos elementos de prova, muitas vezes em detrimento do próprio plano moral.
Para ele e para todos que vertem lágrimas de revolta sem nada poderem fazer, deixo aqui algumas palavras de consideração e solidariedade... porque eu não quero deixar de acreditar na justiça dos homens!

Zombarias do destino

Um oceano, uma tempestade.
Os sinos dobram pausadamente
Pelo tempo que por certo virá
Pelo futuro que todos temem.

Os moinhos movem-se ao longe
Erguidos em penhascos sombrios
Por uma névoa que tudo esconde
Por um vento que tudo corta.
(...)

O mar ergue-se à tua volta
Cinzento prateado e revoltoso
Sozinho como o teu espirito
E pobre como a tua alma.
(...)

As folhas caem secas
Das arvores vergadas pelo tempo
Fustigadas pela chuva
Arrastadas pelo vento.

(...)
Os sorrisos vêm de longe,
Do lado de lá do penhasco
De um lugar inacessível
Onde para ti olham de lado.

Lá, são belos e felizes.
Lá, tudo bate certo.
Lá, onde todos se encontram.
Lá, onde todos se encantam.

(...)

Vai, vai para todo o sempre.
Porque do teu mundo já não vais voltar
Deixa-te perdido nas memórias
De onde jamais queres regressar.
(...)

Mas se o espirito já se esvaiu para resistir
Escolhos não paras de encontrar
E para que tu não deixes de cair
O destino não para de zombar.

Ah, como era bom ter esperança!
Ver ao longe um fio ténue de luz.
Ver nas nuvens um afável sorriso
Que te trouxesse mais do que a lembrança.

Mas o destino se encarregou
De te tirar o ansiado paraíso
E se a outros tudo ofereceu
A ti, órfão de tudo te deixou.
Eugénio Rodrigues 2003
(foto de Bleze - Street life)

66 Comments:

Blogger alfazema said...

" Ah,como era bom ter esperança!"

Mas sopram ventos de mudança, para pior, cada vez mais, e a esperança vai desaparecendo.
Nunca percebi isto de as leis serem feitas pelo homem contra o homem.
O tempo cheira a desgraça, pressinto-a e não gosto de ser pessimista. Para onde caminhamos, para onde nos encaminham,para onde nos deixamos encaminhar?
Um bonito post. Excelente poema.
Não percamos a esperança nem a capacidade de sonhar.
Beijos

5:44 PM  
Blogger Velutha said...

"Mas o destino se encarregou
De te tirar o ansiado paraíso
E se a outros tudo ofereceu
A ti, órfão de tudo te deixou."

Será que o destino também se encarrega de tratar uns como filhos e outros como enteados? Será que já vimos predestinados para sofrer ou ser felizes, para ser ricos ou pobres? Será que podemos fazer o nosso destino?
Já diziam os antigos que viver não custa, o que custa é saber viver.
Beijinhos

5:50 PM  
Blogger Pierrot said...

Alfazema:

As vezes quero ter esperança e acima de tudo transmiti-la a quem está sofrido, mas nem sempre acordamos com um sorriso para oferecer.
Gostei
Bjos daqui
Eugénio

5:54 PM  
Blogger Pierrot said...

Velutha:

Falaste como uma sábia India...
Não me preocupa saber sobre o futuro mas temo que o destino jogue com cada um. E ao destino chamo de pessoas, tempos e imponderáveis afins.
Gracias pelo teu comentário
Está lindo
Bjos daqui
Eugénio

5:57 PM  
Blogger Nani said...

Posso até nem ir muito longe, nem ter muito tempo, mas este é um quantinho que não deixo de visitar... porque sei que encontro sempre algo de especial.

Um beijinho grande

Nani

7:39 PM  
Blogger MARTA said...

Triste o poema e lê-se muitas vezes desespero nos olhos de quem falas.
Perguntas para as quais há ou não uma resposta?
Claro que há - por vezes, demora, mas encontra-se.
Obrigada pela partilha.
Beijos e abraços
Marta

8:14 PM  
Blogger GK said...

Temos de manter a coragem para "ver ao longe um fio ténue de luz"...

Bj.

10:27 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Senti tua indignação em suas palavras, como vc disse até uma ira. Há tantas coisas nas leis dos homens, que muitas vezes não é o que nos ensinam nossos pais, vemos injustiças que não podemos conter e nem remediar. É incrivel como os homens fazem as leis e muitas vezes sofrem a pena destas mesmas.
Mas quem sabe um dia elas funcionem corretamente, como tem que ser, só não podemos perder a esperança.
Um poema pra ler e sentir.
Tem aroma novo em minha casa querido.
Te deixo meu novo blog tbm, bem diferente do que vc esta acostumado a ler de mim.
Um beijo tempestuoso pra vc menino.
Tempestade

11:35 PM  
Anonymous collybry said...

Digo eu, que o destino nunca zomba sim se cumpre,à razões que a propria razão desconhece, mas fica meu lamento,meu rasto____________
Cõllybry

11:56 PM  
Blogger Velutha said...

Passei para reler.E,mais uma vez, fiquei deliciada.
Beijinhos e bom feriado.

11:07 AM  
Blogger Luigi said...

Podíamos enumerar várias soluções, para quê se o pode é cego a causas nobres. Resta-nos ajudar, nem que seja uma palavra de conforto, um sinal de esperança

4:37 PM  
Blogger Vénus said...

Luz... esperança... mudança... palavras mágicas que, muitas vezes, perdem a sua magia no meio de um mundo cada vez mais escuro, descrédito e sem vontade de caminhar....

Vamos caminhar... nem que seja ao som das palavras e dos versos que tão bem sabes transformar em emoções...

Lindo... como sempre
Um beijo enorme

5:24 PM  
Blogger A. said...

...um abraço dado aqui.
Uma mão cheia de esperança e solidariedade.Bonito como sempre.És.







Obrigada Eugénio
pelas tuas palavras por lá.
Um grande beijinho da ana.

7:31 PM  
Blogger Pedro Gamboa said...

As vezes custa muito. È a imperfeição da vida.

Abraço.

7:49 PM  
Blogger José Manuel Dias said...

...as coisas são sempre únicas...mas a leitura pode ser sempre diversa...e, mesmo, nossa!
Cunps

8:55 PM  
Blogger Bel said...

O mundo dá voltas e exigenos muita coragem, força e muita vontade de lutar.
a vida nao pode sre levada como sempre a perder.
um beijo

11:42 PM  
Blogger Nani said...

"Hurricane"
"This is the story of the hurricane"
Este filme retrata a injustiça da justiça. A injustiça de ter de se fazer justiça.
O teu belo poema e a introdução revoltada fizeram-me lembrar este filme!
As injustiças são já normais e não são raras as pessoas que já deixaram de se revoltar com elas!
Apesar da tristeza e revolta que transmites alegra-me saber que não és indiferente!

Beijos desta nova fã!!! :)

1:51 AM  
Anonymous su said...

DEsta vez és tu que escreves mas sabendo porque o fazes...e para escrevinhador do insocnsciente, belo e tempestuoso momento este em que testemunhas a impotência mas mesmo assim a revolta perante as circunstâncias da vida...mesmo que sabendo que o Destino pode não ser aquele que aparenta ser, pois esse apenas se conhece quando se chega ao final da nossa viagem...

Mas sempre belas, belíssimas, cativantes palavras de um Pierrot que agora trocou as vestes pela armadura de Dom Quixote e enfrenta os castelos da crua realidade...mais uns Arlequins...
Que vença - como já vence - a tua palavra.

Um beijo dali do lado, algures da Teia. É teu.

4:23 AM  
Anonymous Anonymous said...

Passando aqui para deixar um bjinho...

http://avassaladoraportudo.zip.net/

5:31 AM  
Blogger missixty2000 said...

Mais um voto de solidariedade a esse teu amigo que foi injustiçado. Mas quantos já não foram!
Gostei do teu poema e esse teu amigo tb deve ter gostado!
beijos da miss

11:12 AM  
Blogger Mina said...

As eternas injustiças da vida... e não só! Se bastassem palavras para acabar com elas, era tudo bem mais fácil.
Mas ajuda...
E bom fim de semana :)

3:12 PM  
Blogger Isabel said...

Eu deixei de ter fé na justiça dos homens. no momento em que deixei de a ter deixei tambem o curso de Direito...
Ainda bem que há quem exerça e o faça com fé na justiça.
Eu tenho fé na poesia dos Homens, na poesia de homens como Ruy Belo. Voltei a colocar hoje um extrato do seu grande poema "A margem da Alegria" no meu sitiozinho, que vai ficando maior pela presença das palavras de grandes homens como ele, com tanto para nos ensinar.
Gostei do teu poema... se pudessemos verdadeiramente culpar o destino, doi-a menos a culpa. Mas não podemos!

Isabel

6:11 PM  
Blogger mnemosyne said...

Por vezes o destino é um lago translúcido e intocável - ancoradouro de sonhos; outras vezes infortúnio - credor de angústia, folha calcada de tristeza no desalento do seu outono.
E porque há palavras profundas que brotam do âmago da alma...magnifico poema :) Um beijo

9:01 PM  
Anonymous temp_nua said...

Oi menino vim te desejar um ótimo fim de semana tá.
Um beijo e fica bem
temp_nua

3:31 PM  
Blogger Luna said...

Como doi estas situações, todos deveriamos viver cim o minimo de dignidade, nenhum ser humano deveria estar exposto a isto, é doloroso
beijinhos

6:05 PM  
Blogger Zélia said...

O governo português faz tudo com muito taLENTO, LENTO, LENTO...

Resta-nos a esperança que tudo mude um dia... mas nunca podemos deixar de acreditar...

Tu consegues transformar algo tão mau em algo tão belo com as tuas palavras :)

Bjinhos :)

8:49 PM  
Blogger Nani said...

Então Eugénio, andas perdido...?

Desde que prometas que vês o que tenho colocado...

Bjs grds

Nani

9:20 PM  
Blogger doistons said...

Injustiças! O mundo está cheio delas.E pelo teu amigo luta para agilizar a justiça.
Beijinhos

9:30 PM  
Blogger Kalinka said...

OLÁ EUGÉNIO
Venho agradecer e retribuir a sua visita e as suas simpáticas palavras.
Parabéns pelo teu talento, na poesia. As tuas palavras são belas e profundas.
Senti a indignação nas tuas palavras, como disseste até uma ira. Há tantas coisas nas leis dos homens, que muitas vezes não é o que nos ensinam os nossos pais, vemos injustiças que não podemos conter e nem remediar. Eu própria fui vítima de uma, no dia 29 de Setembro (caso queiras vai lá e lê)e ainda não estou bem...custa sempre muito sentirmos tamanha injustiça contra nós e pergunto:Porquê? enfim...
Bom domingo.
Abraços.

1:21 AM  
Blogger vero said...

Nunca me canso d te ler querido amigo...
Um beijo enorme!!!***

3:50 PM  
Blogger Miudaaa said...

Meu querido amigo Pierrot, como eu te compreendo... passei por situação identica há muito pouco tempo. Nem honesto se pode ser neste país comprado, por tudo e por todos sem respeito e consideração... lamentável... mas para mim, há sempre o velho ditado "os cães ladram e a caravana passa..."

um beijo de miudaaa

12:22 AM  
Anonymous su said...

...pois eu tenho a "VISÃO" para não dizer o pressentimento que em breve hás-de ter um poema em troca da palavra que deste! É bem feita, pois! Depois vens falar em justça e injustiças!! :)))))))))))))))

xxx

Nem um "Angel" te valerá!

;)

Um beijo noctívago!

1:26 AM  
Blogger SerendipityMan said...

Há sempre arte nos teus poemas, sobretudo neste, com um cenário de apelo à justiça por trás. Parabéns!

3:16 AM  
Blogger BroTTas said...

e uma coisa que me revolta muito e alguem ser condenado injustamente, mais me revolta eu nao conseguir fazer nada para o proteger... imagino no teu caso que fazes por profissão...

11:03 AM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Que saber que aprecias este cantinho ao ponto de te "adormeceres" por aqui.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:43 PM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

Essas respostas raramente as temos, pelo menos em tempo útil para podermos de alguma maneira ajudar a que este mundo seja um pouco melhor.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:44 PM  
Blogger Pierrot said...

Gk:

As vezes custa ver essa luz Gk, custa mesmo muito.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:46 PM  
Blogger Pierrot said...

Fúria das águas:

Deste uma excelente imagem da minha frustração e gracias pelos elogios às minhas palavras...
Bjos daqui
Eugénio

2:48 PM  
Blogger Pierrot said...

Collybry:

Se calhar tens razão, mas por vezes a ironia é tal que parece que brinca connosco.
Bjos daqui
Eugénio

2:50 PM  
Blogger Pierrot said...

Velutha:

Volta sempre que quiseres.
Este espaço também é teu...
Conquanto que te sintas bem.
Bjos daqui
Eugénio

2:51 PM  
Blogger Pierrot said...

Luigi:

E gracias pela tua palavra de conforto
Abraço
Eugénio

2:52 PM  
Blogger Pierrot said...

Vénus:

Quando caminhamos juntos nestes comentários e versos "perdidos" fica tudo muito mais fácil.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:55 PM  
Blogger Pierrot said...

Ana:

As tuas palavras, ainda que singelas e breves são sempre de uma força brutal.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:56 PM  
Blogger Pierrot said...

Pedro gamboa:

Nem mais.
Sábias as tuas palavras
Abraço
Eugénio

2:57 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

É verdade.
Escrevo tantas vezes pelo que observo, pelo que acho que os outros sentem mas desta vez tocou-me de uma forma muito especial, muito própria...
E quando nos tomamos das dores dos outros, quando não conseguimos separar as águas, quando o profissionalismo sucumbe às sensações e sentimentos, aí solta-se o grito em forma de palavras.
Gostei Su, gostei
Bjos daqui
Eugénio

3:00 PM  
Blogger Pierrot said...

Avassaladoraportudo:

E esse beijinho é devolvido daqui
Gracias
Eugénio

3:04 PM  
Blogger Pierrot said...

José Manuel Dias:

Os nossos olhos por vezes tudo mudam não é?
Abraço
Eugénio

3:06 PM  
Blogger Pierrot said...

Bel:

Gracias pela forçinha
Bjos daqui e volta sempre
Eugénio

3:07 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani Pinto:

Por vezes preferia ser alguém, indiferente a tudo sabes.
Por vezes preferia ter como que uma anestesia que nos poupasse alguns dissabores.
É a vontade instintiva que te fala, sem racionalidade, destituida da beleza da vida que é sentir o que nos rodeia.
Mas que dá vontade dá...
Gostei de te ter por cá e da tua bonita comparação.
Bjos daqui
Eugénio

3:09 PM  
Blogger Pierrot said...

Missixty2000:

Não faço ideia se ele leu as minhas palavras. Ele é um humilde idoso sexagenário, doente e duvido que saiba sequer escrever para alem do nome, quanto mais ler na internet.
Ainda assim, resolvi mostrar a minha indignação. Gritar para que não implodisse...
Gracias pelas palavras
Bjos daqui
Eugénio

3:12 PM  
Blogger Pierrot said...

Mina:

Sem dúvida.
Se o nosso grito bastasse, seríamos uma geração eternamente afónica.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

3:13 PM  
Blogger Dafne said...

Caro Eugénio
Passei por aqui para desejar uma boa semana de trabalho. Já agora não deixes de acreditar naquilo que fazes.É melhor sofrer uma injustiça do que praticá-la. Não te esqueças disso.
Beijos daqui para ti.
Tua amiga

3:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Isabel:

Dizer que o destino é cruel e irónico não é tanto por uma questão de muleta mas mais por um desabafo.
É o constatar de uma tristeza acima de tudo.
Este curso de direito tens estes ossos. Quando corre bem sentimo-nos tão bem, tão uteis, mas quando corre mal, sentimo-nos um lixo.
Bjos daqui e gracias pela tua partilha
Eugénio

3:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Mnemosyne:

E este teu comentário também veio com alma, com uma sensibilidade quase transcendente.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

3:20 PM  
Blogger Pierrot said...

Luna:

Gracias pela tua compreensão
Bjos daqui
Eugénio

3:21 PM  
Blogger Pierrot said...

Zélia:

Este país por vezes exaspera-me em quse tudo o que tem toque do homem...Burocracias, injustiças e falta de humanidade...
Gostei das tuas palavras...
Bjos daqui e gracias.
Eugénio

3:25 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Não ando perdido, apenas um pouco sem tempo para mim, para as minhas coisas. Mas prometo que não te deixo ;-)
Gostei dessa saudade
Bjos daqui
Eugénio

3:26 PM  
Blogger Pierrot said...

Doistons:

Mas as vezes sinto-me como um D.Quixote contra moinhos de vento sabes...
Gostei da tua força.
E gostei também de ter uma cara nova neste meu cantinho. Sê bem vinda e volta sempre pois também é teu.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

3:28 PM  
Blogger Pierrot said...

Kalinka:

Gracias pela tua força e pelos teus elogios.
Sobre a tua partilha, lá irei espreitar assim que puder.
Bjos daqui
Eugénio

3:29 PM  
Blogger Pierrot said...

Vero:

E eu nunca me canso de te ter por cá...
Volta sempre pois eu não me canso de te ler...
Bjos daqui querida amiga
Eugénio

3:31 PM  
Blogger Pierrot said...

Miudaaa:

Alguns Homens deste país fazem com que ele tresande de um odor de injustiça e incompreensão...
As vezes apetece-me vestir um Luto...
Gracias pelas palavras e volta sempre.
Bjos daqui
Eugénio

3:33 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Era giro era...
E a ideia é bem simpática...
Aliás, não vai há muito tempo, estava eu na Ribeira a beber um copo quando um homem se acercou do grupo e ofereceu a uma amiga aniversariante, a troco de uma moeda, um papel onde continha umas palavras...
Infelizmente era muito desconexo e não chegava sequer a ser bonito...
Mas foi original
Bjos daqui
Eugénio

3:35 PM  
Blogger Pierrot said...

Serenditypiman:

Gracias pelos elogios.
Faz tempo que não te via por cá e aprecio sempre as tua palavras. Volta sempre
Abraço
Eugénio

3:36 PM  
Blogger Pierrot said...

Brottas:

Acertaste na mouche...
As vezes revolta-nos até as tripas.
Abraço e gracias
Eugénio

3:37 PM  
Blogger Pierrot said...

Dafne:

Que tirada tão bonita.
Pior do que ver uma injustiça é participar nela.
Eu jamais seria capaz de algo do genero.
Gracias pelo incentivo e bjos daqui
Eugénio

3:38 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Gracias por esse apoio tão "canarinho".
Já sabes que és sempre bem vinda aqui deste lado do oceano.
Bjos daqui
Eugénio

3:41 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home