My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Wednesday, November 22, 2006

Não ficarás só.



Este é um extracto de um poema que postei em Maio deste ano. De alguma forma tenta retractar aquilo que todos por certo já sentimos quando magoamos alguém de quem, apesar de tudo, gostamos imenso. Espero te-lo conseguido. Espero que vos diga alguma coisa...

Não ficarás só pois tens-te a Ti...


Sei que vais detestar-me
Tenho a certeza que me odiarás
Que passarás a ter as lágrimas
Como companheiras da saudade

(...)

Perdoa-me pois não voltarei a casa
Sei que o teu sacrifício e a tua dor
Serão tuas companheiras de viagem
Serão páginas do passado que esquecerás.

(...)

No posso é ficar mais nem um segundo
Só para que possas sonhar comigo
É um sacrifício que já não sustento
Ainda que tires a minha foto da tua parede.

Por favor peço-te que me perdoes
Mas o teu calor gela-me as veias
O teu frio corta-me e seca-me a Íris
Se ficar, morrerei como o nosso amor.

Tenho de fugir para bem longe
Fugir de ti e escapar de mim.
Sei que te dói na alma e no coração
Mas é altura de deixar falar a razão.

(...)

Vai, voa para longe, para os antípodas daqui.
Vais ver que esta nossa separação é uma benção
E que este nosso ultimo fôlego de coragem
Mais não é do que o raiar de um novo dia.

(...)

Se hoje me abominas e amaldiçoas
Amanhã serás o meu nobre irmão
Que me salvas e proteges dos impuros
Sempre pronto para me dar a mão.

(...)

Não permitirei que o epílogo destrua as lembranças
Há que preserva-las para que possamos renascer
Será sempre bom relembrar a tua voz e os teus olhos
Como parte do passado e não do futuro agonizante.

Vai, que eu tenho de voar para longe
E sempre que quiseres lembra-te de mim
Como uma festa cheia de cor e luz
Que jamais poderá terminar.

Eugénio Rodrigues
(foto de Rosalina Afonso)

66 Comments:

Blogger BlueShell said...

Precisei de um abraço…e tive-o nas tuas palavras ternas.
Obrigada.BShell

12:20 PM  
Blogger lisa said...

Um texto triste, mas muito bonito.
Quem ama perdoa.


:-)

Beijo.

1:08 PM  
Blogger juka said...

Lindíssimo!!!

Não só o encontro é um momento bonito.

Ter consciência que algo como o amor terminou e saber gerir isso como o descreves, é também muito bonito!

É um texto carregado de muita força, de muita esperança, de muita sesatez e de muita vontade de reencontrar a felecidade e o amor.

Que bom seria que todos nós em momentos semelhantes a esse conseguíssemos tamanha lucidez.

Adorei simplesmente, o excerto do teu poema.
Obrigada pela oportunidade que me deste de conhecê-lo.

Um beijo carregado de votos de muitas felicidades.

2:06 PM  
Blogger Su@vissima said...

Lindo!
E o mais belo ainda, é vestir todas as tuas sílabas!!

"Tenho que fugir para bem longe
Fugir de ti e escapar de mim."

(Como eu te entendo:)

Um beijo daqui.

2:26 PM  
Blogger Miudaaa said...

Olááá Eugénio.
Que bom saber que chegaste até aqui...que bom saber que encontraste em ti, alguém que gostas e admiras...

Estou completamente apaixonada por esta parte do teu poema:

"Vai, que eu tenho de voar para longe
E sempre que quiseres lembra-te de mim
Como uma festa cheia de cor e luz
Que jamais poderá terminar"

Um festa cheia de cor e luz... que jamais poderá terminar.

Há algo mais bonito do que sentir o que sentes???

Um beijo da miudaaa

3:02 PM  
Blogger Nani said...

Não ficarás só...

Beijinhos grandes...

da Nani, sim porque eu não sou Nina, sou Nani...!! É o que dá...
(em tom de brincadeira... como eu gosto)

Nani

6:52 PM  
Blogger david santos said...

Pierrot, deu-lhe para isso e deu muito bem. A saudade é tudo o que o meu amigo diz num comentário, que sinceramente, já não sei onde.
Adoro os seus textos.
Parabéns.

"Só Verdades"

7:41 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Meu querido Eugenio, sei...sei... sei... sei o que sentes muito bem, isso doí muito, mas precisamos fazer uma escolha.
Eu estou assim, como no teu poema, este parte dele me tocou muito:

"Por favor peço-te que me perdoes
Mas o teu calor gela-me as veias
O teu frio corta-me e seca-me a Íris
Se ficar, morrerei como o nosso amor."

Mas na minha historia o final seria assim:

Se ficar, morrerei como o amor que nunca existiu em mim, só em ti.

Um beijo
Fica bem
Temp_nua

7:44 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Olha eu aqui de novo rsrsr, vim te buscar para ver meu novo post, algo que recebi de Portugal.
Um beijo
Fica bem
temp_nua

8:31 PM  
Blogger Mina said...

Quando partir é a única solução, mesmo que muito custe... este poema é um belíssimo exemplo de uma situação demasiado difícil e triste... sem palavras...
Beijoca.

9:13 PM  
Blogger Fell me(na) said...

Belissimo! Aqui as palavras são sinfonias, canticos de Mozart harpas que tocam melodias, um texto que tem tanto de beleza como de arte.

9:14 PM  
Blogger MARTA said...

Sei muito bem do que falas...
E, só posso dizer: belo...
Beijos e abraços
Marta

9:47 PM  
Blogger kurika said...

Triste...triste...lindo...lindo

Eugénio, Parabéns!!!

Um beijinho de boa noite

9:54 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Já me sentei tantas e tantas vezes nesse banco..
Nessas ondas.. perdidas em pensamentos.. sentimentos!

Ainda fiquei a olhar fixamente a photo a ver se era eu lol

As tuas linhas...
Retraram na perfeição tantas e tantas ondas de tantos e tantos sentires.

Um abraço enorme para ti vindo do miocárdio :) **

10:40 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

É no Baleal que me encontro.
É nesse banco que falo comigo.

Gostei muito deste post..
Deste poema.
Destes sentires.

Deste Baleal..

10:41 PM  
Blogger João JR said...

Lindo...simplesmente profundo! Tocou-me particularmente, pois apesar de triste, tem algo que merece a minha admiração: escreveste, disseste, deixaste a tua sinceridade vir ao de cimo, sem reservas. Puro!
Quem ama perdoa sim. Mas só se houver verdade recíproca:)
Um grande beijo Pierrot, nunca páres de escrever..

12:05 AM  
Blogger  said...

Simplesmente espectacular...

Espero que nao te importes mas vou posta-lo no meu blog

Um abraço

2:48 AM  
Anonymous Anonymous said...

The Great Escape penso que é um dos temas dos Marillion...não sei se do lindíssimo album BRAVE, que fala de uma fuga física e psicológica de uma personagem. Um autêntico filme musical, poético...melódico.

xxx

Há sacrifícios que imputamos aos outros apesar de virem de nós para salvaguardar, no final, algo que é comum a duas pessoas (ou mais)...há coisas que não se entendem...ou outros não entendem para além de nós também...
Há coisas que nos custa a alma e o coração e que faz das lágrimas apenas sombras salgadas arranstando-se de dentro do nosso abismo pessoal...
Há mágoas que a seu Tempo vêm por bem...e frutificam em coisas benéficas...
Há coisas e coisas...há palavras e palavras...há jogos e jogos...há ganhar e perder...

xxx

Neste momento, este teu poema veste-me perfeitamente, em algumas circunstâncias assim por alto.

Gostei de te ler...

Um beijo colorido da SJ

10:58 AM  
Blogger Pierrot said...

Desculpa Nani:

A pressa é a inimiga da perfeição já alguém dizia e por vezes por causa dela pensamos numa coisa e escrevemos outra.
É imperdoável ainda que tenha obviamente pensado em ti não obstante a confusão de vogais.

Estou desculpado?

Bjos daqui de um Pierrot envergonhado.
Eugénio

11:03 AM  
Blogger Pierrot said...

Rá:

Claro que não me importo...
Estes meus escritos são para mim, para vocês, para todos...

Bjos daqui e sê bem vinda.

Eugénio

11:04 AM  
Blogger Pierrot said...

Estranha:
É verdade, foi no baleal que tiraram esta foto, que não eu embora estivesse por lá também.

É um lugar lindissimo quer de Verão quer de Inverno onde me inspiro tanto...

Engraçado ter aqui por cá que identifica o lugar e está inclusivamente tantas vezes no mesmo sítio.

Amei.

Bjos daqui
Eugénio

11:06 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Acho que estas palavras vestem-nos ou já nos vestiram pelo menos uma vez na vida a todos...

Gostei que o tivesses sentido como teu também...

E agora vê se te animas para criares um novo cantinho, vá lá.
Bjos daqui
Eugénio

11:08 AM  
Blogger Fúria das Águas said...

Deixo-te o endereço do video aqui, espero que assim consigas ver.

http://www.ad-awards.com/commercials/selection/institute_for_support_of_abused_children/commercials-218.html

Um beijo
Fica bem

11:35 AM  
Blogger vero said...

O meu coração está triste... mas encontrei algum conforto nas tuas palavras... Obrigada...

Bjos

3:48 PM  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Eugénio

Existe uma frase de todo verdadeira..........

É preciso perder - para ganhar!

Beijinhos com carinho

4:23 PM  
Blogger vero said...

Querido amigo, o k fazer kuando a dor é tal k ultrapassa o coração e nos atinge a alma???
Bjosss

4:24 PM  
Blogger Isabel said...

Sabes meu amigo, tenho na vida um lema fazer tudo com dignidade.
Foi essa dignidade gigante que senti no teu poema... é nas alturas mais dificeis da vida, como por exemplo quando temos de magoar alguem que essa dignidade interior se sente e vem à tona.
O teu poema respira dignidade e respeito por um amor que se quer soltar voando em busca de um novo manhecer .
Este poema veio confirmar a opinião que já tinha de ti: És alguem cheio de coração e dignidade.
Ainda bem.

Até breve.

Isabel

4:38 PM  
Blogger Pierrot said...

Vero, a dor só é dor quando ultrapassa ultrapassa o coração e nos fere a alma, como tu dizes....
Ou seja, só é dor quando nos atira ao chão.
Mas sabes que mais, como diria aqui a Betty, é preciso perder para ganhar...
E mesmo quando pensamos que perdemos tudo, que estamos completamente perdidos, eis que surge um rosto na multidão, uma carta que vem com o vento do outono, qualquer coisa que nos faz mexer de novo. É sempre assim. É preciso é não te fechares.
Vai por mim, sei do que falo.
Quem não sabe?
Bjos daqui e muita força amiga Vero
Eugénio

4:39 PM  
Blogger Pierrot said...

Isabel:

Ainda que a Estranha diga e com razão, "como é que se cora na net?", eu te digo que corei com tamanho elogio.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

4:41 PM  
Blogger veritas said...

Olá!

Fez-me lembrar um contexto criado por uma música de Joe Dassin, não sei se conhece..."Ça va pas changer le monde...si tu changes de maison..." O fim...a dor...a nostalgia...um perfume que fica no ar...

Um abraço. Voltarei.

6:00 PM  
Blogger Som do Silêncio said...

Eu não ficar ficar só enquanto tiver leituras tão boas como esta.
Tu não ficarás só enquanto escreveres assim.
Nós nunca ficaremos sós...pois sabemos que estás desse lado com algo sempre para nos dizer!

Beijo

8:44 PM  
Blogger Nani said...

Eugénio... Claro que estás desculpado...
Também lês a Nina...

Um beijinho grande de amizade...

Nani

8:54 PM  
Blogger Miudaaa said...

A estranha está no Baleal eu estou em Santa Cruz.

Um beijo de miudaaa, que passou por aqui :-)

12:10 AM  
Blogger Zélia said...

Fiquei triste, mas tuas palvras reconfortaram-me :)

Parabéns :)

Bjinho :)

1:43 AM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Miudaaa,

A Estranha está no Baleal e tantas e tantas vezes em St. Cruz ;)

2:02 AM  
Blogger Vera said...

Doce Eugénio, é a terceira vez que aqui venho e tento fazer um comentário, mas nenhum está à altura deste magnífico poema.
Vou dizer só que adorei o poema. É comovente. Adorei o título, que diz realmente tudo. Nunca estamos sós, temos-nos sempre a nós próprios. E há alguém mais importante?
Divino Eugénio! Divino!

Beijinhos!

12:20 PM  
Anonymous Secreta said...

Lindo , sentido , toca-me!
Beijito.
Bom fim de semana.

2:08 PM  
Blogger missixty2000 said...

Eugénio há uma coisa que não entendo, isso de as pessoas fugirem para não se magoarem. Não se magoam assim , mais ainda???Dor por dor, então é gozar o impossível até ao fim!Também já pensei assim como tu, mas agora mudei de estratégia. A vida é demasiado curta para nos privarmos do que nos dá prazer!!!
De qualquer forma este poema está muito belo e sentido!
beijos do coração amigo

4:56 PM  
Blogger missixty2000 said...

Eugénio há uma coisa que não entendo, isso de as pessoas fugirem para não se magoarem. Não se magoam mais ainda, assim???Dor por dor, então é gozar o impossível até ao fim!Também já pensei assim como tu, mas agora mudei de estratégia. A vida é demasiado curta para nos privarmos do que nos dá prazer!!!
De qualquer forma este poema está muito belo e sentido!
beijos do coração amigo

4:57 PM  
Blogger Pierrot said...

Missixty:
Tens o teu que de razão!
Mas como em tudo na vida, há excepções para o nosso modus vivendi.
Eu também acho que devo gozar o dia a dia, porém, há que ter cuidado quando tal conduta magoa e engana outros sentimentos.
Aí mais vale parar e seguir outro caminho.
É uma forma simplista de te explicar as coisas, mas não o consigo, aqui, fazer de outra forma.
Mas todas as opiniões são respeitáveis e a tua é uma delas, e muito.
Bjos daqui
Eugénio

5:37 PM  
Blogger mnemosyne said...

Dedos que tocam a cítara das chuvas...um refulgir de sensações, um bouquet de emoções...fica-nos o perfume das tuas palavras . Um beijo terno :)

5:40 PM  
Blogger Memórias de Um Sorriso Luso said...

Nem imaginas como entendo cada palavra, cada frase...

Todo o poema me revela a tua pessoa.

"E sempre que quiseres lembra-te de mim
Como uma festa cheia de cor e luz
Que jamais poderá terminar."

Esta frase é para mim a que resume a pessoa que és.Parabéns!

kiss

8:06 PM  
Blogger Ana Patudos said...

A tristeza e a solidão não duram para sempre. Quando a chuva cai dias e dias seguintes, logo depois o sol volta a nascer de novo. Por isso o sofrimento não é eterno.
Fica bem
Ana Patudos

8:20 PM  
Blogger Pedro Gamboa said...

As vezes fico aterrado com o que escreves.
Eugénio, eu não sou destas “cenas” do dizer bem só por dizer.
…” Mas o teu calor gela-me as veias…” com esta tua frase me fico, que dizer…


Abraço

9:53 PM  
Blogger Maresi@ said...

Ola Eugénio:)))

Gostei como sempre desse teu bela o sublime, embora "triste" poema...

"Vai, que eu tenho de voar para longe
E sempre que quiseres lembra-te de mim..."
Estas duas frases do teu poema transcrevem tudo akilo que sentes e pensas....

liberta te...

Deixo beijo suave___Maresi@

11:40 PM  
Blogger mni said...

aqui me encontro!

1:06 AM  
Anonymous Mel said...

Bom dia amigo Pierrot...

Hoje que acordei envolta no vazio de não encontrar de mim fio,
no vazio de não em encontrar dentro de mim,
hoje, que as agonias varejam loucas o meu corpo...
Vim até aqui, porque uma lágrima negra me lembrou que sou
uma espécie de "Pierrot" triste...

E porque,
queiramos ou não o Amor exite,
e, porque está em nós ... resiste...
Em ausências que mais não são
que permanências, intensas...
e morre no inverso de si ...
em permanências ausentes.

***
Amigo, divaguei ...

Um bom fim de semana
Um abraço e se me permites, um beijo de Mel (típico...)

PS.: O Poema? Belíssimo, Pierrot... Não mo queres dar para a Gôndola? Pensa nisso...

9:10 AM  
Anonymous temp_nua said...

Li e me encontrei novamente em teu poema.
UM beijo e bom fim de semana menino.
Fica bem
Temp_nua

12:42 PM  
Blogger Menina - Mulher said...

..Nem sempre é fácil voar para longe...mas é preciso ter esperança que por vezes é o melhor..bj

12:14 AM  
Blogger A. said...

______________________...






...e que dor deve ter
tido ao ler palavras assim...






Trás lembranças...tristes.







Um grande abraço
Eugénio querido.

8:21 PM  
Blogger Isabel said...

Acabei de publicar na intgra aquele texto do músico Vitor Rua sovre o silêncio acho que vais gostar de ler, passa por lá.

Eu aqui voltarei .

Até breve.

Isabel

8:56 PM  
Blogger kurika said...

Pierrot tenho um humilde convite para ti lá no meu humilde cantinho...

Um beijinho

11:27 PM  
Blogger Nani said...

E quando magoamos quem amamos por "ter de ser", porque tem "mesmo de ser" ... o que fazemos com o que não sobra?
O que fazemos com o que já não somos? O que fazemos com o desconhecido em que nos tornamos?

Estou talvez demasiado deprimida nesta hora que te escrevo... volto noutro dia... talvez consiga ler o teu texto sem que as lagrimas derretam as letras no monitor...

beijos salgados daqui...

3:38 AM  
Blogger Xanusca said...

Só para mandar um beijo e boa semana!

10:22 AM  
Blogger Isabel said...

Pierrot tu tambem poeta, é hora de acenar um até breve a mario Cesariny.
Foi sorrindo de mãos entrelaçadas com a morte e nos ficamos aqui acenando.
Ele ficará eternamente pois aqui se deixou inteiro.
Entrega plena.
A nós, ás palavras, á pintura e á sua beata de cigarro.

Até já Pierrot.

7:12 PM  
Blogger missixty2000 said...

pierrot tenho um post sobre musica, da pesada!!!Aposto que a que lá pus não adivinhas, eheheh!!beijos

10:57 PM  
Blogger Som do Silêncio said...

Vim deixar um beijo!!

11:28 PM  
Blogger RealSmile said...

por vezes temos mesmo que seguir por outro caminho, fazer desvios indesejados, sofridos.. é o preço da felicidade..Beijo

12:13 AM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Vim num instante sentar-me no banco...
Neste horizonte!

Saudades desse banco.
Vai para quinze dias que não o vejo :P Vim matar saudadecas!!

Um abraço grande e desassossegado para ti :) **

6:19 AM  
Blogger Xanusca said...

Adorei... toca a todos.

11:11 AM  
Blogger Pierrot said...

A todos vocês quantos comentaram este meu esquisso, espécie de amostra de poema, ou aqueles que simplesmente por aqui passaram a ler estas linhas, um muito obrigado e que tenham, pelo menos, sentido algo, de acordo com a vossa vida, experiência e sentimentos.
Bjos e abraços a todos.
Eugénio

10:31 AM  
Blogger Pierrot said...

Ah, mas podem continuar a divagar por aqui.
Não quis com o meu agradecimento, enterrar o post ;-)
Eugénio

6:16 PM  
Anonymous Marisa said...

"Tenho de fugir para bem longe
Fugir de ti e escapar de mim.
Sei que te dói na alma e no coração
Mas é altura de deixar falar a razão."

Este excerto resume todo um descrever de um longo e sentido sentimento... que inevitavelmente ... um dia, a todos nós ... nos toca...
Lindo Géninho!! Parabéns!!!

2:54 PM  
Blogger Pierrot said...

Marisa:

Que surpresa agradável.
Gostei de te ter por cá e ainda mais que tenhas gostado.
Volta sempre e que de alguma forma te revejas nestas minhas singelas palavras.
Bjos daqui de um Pierrot "COMBATente" ;-)

Eugénio

2:14 PM  
Anonymous Anonymous said...

Visita la meva agenda de Catalunya: Agenda de Catalunya

11:56 AM  
Blogger Pierrot said...

Lá Irei Anónimo, nem sei bem porque...
Eugénio

11:33 AM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home