My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Tuesday, October 24, 2006

Gotas Indecifáveis






Gotas indecifráveis

Gotas nascem, gotas caem, gotas morrem,
Torrentes matam, os mares consomem.
As gotas da vida, os prismas do arco-celeste
Os reflexos da Luz, as paranóias reveste.

(...)

O Orvalho da madrugada vinga o despertar
O Sol transforma as gotas da esperança
Em vida, em ar, em alento de bonança
Renasce a vontade, a força, o desejar.

A Lua traz a noite num véu de luar
Revolve a tristeza e vence a resplandecência
Consome o calor e extingue o fio da essência
Em gotas de sangue que gelam o ousar.

A valsa vai lenta, em notas surdas e fugitivas
Na melodia vislumbram-se fotos tristes e tremidas
A letra está morta, as palavras vazias e sentidas
Cantos de Ilusões, Fados amargos e Odes confundidas.

As Gotas escorrem pelo vidro enxuto
Num dia de sol, numa hora de luto
Caem do beiral numa espiral dormente
Deslizam no rosto numa realidade dolente.

As Gotas tocam o chão seco de amor
Esmagam o pó e desfazem o bolor
Desaparecem na terra esvaída de dor
Esvaem-se de pureza na transparência da cor.

As Gotas despertam a necessidade doentia
De desejar o amor qual acto de rebeldia
Fugir da miragem que espevita a alento
Adormecer da vida que incita o tempo.

(...)

Secam-se as lágrimas, esquecem-se os prantos
Acabam-se as Gotas, Requiem da alma
A frieza transforma os recantos em sorrisos
Fortalece os amargos e afana os esquecidos.

Eugénio Rodrigues 2005
(foto de Rosalina Afonso)

54 Comments:

Anonymous temp_nua said...

Um lindo poema novamente, vc nos faz sentir o que escreves.
Te deixo uma gota de chuva a tocar-te o rosto.
Um beijo
Temp_nua

5:09 PM  
Blogger As cores da vida said...

=))

8:08 PM  
Blogger Vénus said...

Não me canso de te elogiar... Belíssimo o poema...

Nas gotas que derramamos pela vida
Vamos enchendo novos mares
Que se formam cheios de força
E reflectem novos olhares

Olhar em frente
Sorrir, sempre de repente
Esquecer que temos um corpo dormente
Amar tudo... serenamente

Um beijo enorme e muito querido para ti

9:27 PM  
Blogger Nani said...

Eugénio... não resisti e vim espreitar o teu cantinho...

Beijinho grande...

Não precisas de sentir saudade...
estarei sempre presente...

Nani

10:14 PM  
Blogger GK said...

Há alguma coisa mais bonita do que uma praia sob a luz de uma tarde chuvosa?
...Talvez... mas hoje não! ;)

Bj.

11:46 PM  
Blogger mnemosyne said...

Ler-te, sentir as tuas palavras que são como águas de rio que transbordam as margens...assim lavas a alma nas águas que se libertam. Deixo-te um beijo com gosto de chuva adocicada :)

9:17 AM  
Blogger MARTA said...

E ficamos com sorrisos sem alma....
Sem alma, ficamos sem nada, nem o amor floresce...Isso NUNCA deve acontecer; devemos talvez seguir as gotas e iniciar novo ciclo..
Lindo poema - adorei!
Beijos e abraços
Marta

9:30 AM  
Blogger missixty2000 said...

Esqueci-me de te reponder a uma pergunta sobre os The Mission que me fizeste no meu blog.Tinhas razão, é Love me to death do album GODS OWN MEDICINE! Também gosto muito desta banda e assiti a um concerto deles no Porto, faz anos!
O poema esta muito bonito, nas acredita que começo a ficar farta de tanta água, não para de chover!!:)))))
beijos

9:52 AM  
Blogger Vera said...

Querido Eugénio, que poema maravilhoso! Adorei, está magnífico!
Beijinhos

11:10 AM  
Blogger Fúria das Águas said...

Que as gotas que caem sejam de chuva e não de lágrimas.
Um beijo
Fica bem
Temp_nua

1:27 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Gracias pelas tuas palavras e que a chuva me molhe até à alma...
Bjos daqui
Eugénio

1:51 PM  
Blogger Pierrot said...

As cores da Vida:

Bom ter-te por aqui.
Caras novas são sempre bem vindas.
Espero que tenhas gostado
Bjos daqui
Eugénio

1:52 PM  
Blogger Pierrot said...

Vénus:

Deixaste-me um poema muito querido.
Um xi enorme para ti e um :-)ainda maior.
Palavras lindas...
Olhar em frente e sorrir sempre de repente!
Bjos daqui e gracias
Eugénio

1:53 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Sempre tão afável e tão querida.
A blogosfera tem saudades tuas...volta depressa.
Gracias por teres passado por cá.
Bjos daqui
Eugénio

1:54 PM  
Blogger Pierrot said...

Gk:

Engraçado Gk, sinto exactamente o mesmo hoje...
Bjos daqui e gracias
Eugénio

1:55 PM  
Blogger Pierrot said...

Mnemosyne:

E o teu beijo é uma espécie de carícia terna para mim...
Gracias por tudo
Bjos daqui
Eugénio

1:56 PM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

As vezes as gotas levam-nos aonde não queremos...mas registei as tuas palavras tão agradáveis.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

1:57 PM  
Blogger Pierrot said...

Missixty:

Eu sou vidado em The Mission, mesmo depois de terem perdido todo o elán dos 80's e 90's.
E já perdi a conta aos concertos que tive o prazer de ver deles...

Quanto à água, não deixa de ser irónico. Por um lado, passamos a vida nos últimos tempos a reclamar de não chover. Por outro, tem um pouco a ver com os nossos governantes e classe politica em geral pois metem agua...até demais!

Bjos daqui e gostei de te ter por cá.

Eugénio

2:00 PM  
Blogger Pierrot said...

Vera:

Gracias querida amiga, gracias.
Bjos daqui
Eugénio

2:01 PM  
Blogger Pierrot said...

Furia das águas:

São gotas Furia, são gotas...simplesmente!
Tudo se mescla tal como nos sentimentos.
Bjos daqui
Eugénio

2:01 PM  
Blogger Su@vissima said...

Passeei ontem à beira-mar...

Gotas de chuva caiam-me aos pés
Misturadas com as gotas de furia no ar...

E a beira-mar gemia...
Enquanto a chuva, meus pés lambia
E as minhas gotas eram de nostalgia
Do tempo em que o Sol tudo me
Oferecia...

Mas o Sol esqueceu...
Rumou a Oeste...desapareceu

E as gotas caíam...
Pelo rosto desciam...
Neste dia sem Sol...escuro como breu!

Chega a Lua..."num véu de luar"
A furia do desamor se esfuma no ar
Fez-se tempo de tudo...
No dia do tudo se abraçar.

(Escreves um poema LINDO...e provocas-me estes impulsos!)

Um beijo daqui.

5:05 PM  
Blogger Pierrot said...

Suavissima:

Que bonito...
Está fantástico sabias...!
E fico super orgulhoso em saber que as minhas palavras despoletaram esta tua veia..palavra!

E logo este poema que estava lá nos confins do meu cantinho...

Faz-se tempo de tudo
No dia de tudo se abraçar
Muito bom mesmo
Bjos daqui
Eugénio

5:41 PM  
Blogger vero said...

Perdi-me nas tuas palavras... ENCANTADOR!!!!!
Beijinho de Boa Noite***

10:06 PM  
Blogger venus said...

belo poema
realmente a chuva inspirou-nos...
um belo tributo À mae natureza.
as lagrima dos céus são tão parecidas com as nossas e tão belas quando apreciadas por aqueles que realmente as observam...
beijinhos

1:30 AM  
Anonymous Secreta said...

Gotas de vida , por vezes esquecidas.
Beijito.

11:04 AM  
Blogger Mina said...

Bonito, comparativo, actual, sincero... com sentido :)
Beijoca!

11:17 AM  
Blogger Xanusca said...

Foi a chuva que te inspirou?
beijos

11:33 AM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

E o decifrável?

3:09 AM  
Anonymous su said...

Depois da Tempestade há-de vir sempre uma espécie de bonança...uma calmaria qualquer em que a alma repouse das gotas exteriores e interiores que marcam o seu rosto indefinido como as asas da angústia que se despedaçam aos nossos pés...
Mas também é das gotas, uma mais uma mais uma e mais outra, somando todas as suas partes que se faz um caudal de rio, uma nascente nova, uma esperança renascida que desperta a semente que se traz dentro de nós. Ela está sempre lá. Remexida pelo jardineiro certo, as gotas como a energia caída pode despertar o jardim inteiro...

Melancolicamente belo o teu poema.

Um beijo da su...

1:30 PM  
Blogger Zélia said...

Espero que consigas decifrar as gotas e que sejas muito feliz :)
Escreves mesmo muito bem :)

Beijinhos

2:24 PM  
Blogger Isabel said...

Desta quase emudecida digo apenas:
SUBLIME!


Isabel

6:49 PM  
Anonymous collybry said...

Deixo em uma gota para juntar as estas, mas decifravel bjoca doce, Voltarei sem pressa,Cõllybry

8:43 PM  
Blogger dreams said...

fico em silêncio...
a minha melhor homenagem ao teu fabuloso poema...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

11:10 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Deixo-te um beijo e bom fim de semana menino com muitas gotas a molhar-te a alma.
Fica bem

3:32 PM  
Blogger Luigi said...

as gotas que deixamos escapar quando não queremos ou aquelas que desejamos sentir na nossa pele e são tão raras, mas tão preciosas as gotas de alegria vinddas directamente das janelas da alma
fantástico poema
abraço

12:22 AM  
Blogger Pierrot said...

Vero:

E o que há de mais bonito quando alguém se perde nas nossas palavras?
Gostei e gracias.
Bjos daqui
Eugénio

11:20 AM  
Blogger Pierrot said...

Vénus:

As gotas podem representar tanta coisa não é...
Fiquemo-nos pelas de chuva :-)
Bjos daqui e gracias
Eugénio

11:21 AM  
Blogger Pierrot said...

Secreta:

Sem dúvida que por vezes essas gotas ficam esquecidas, como que petrificadas pelo frio da alma...mas não deixam de lá estar!
Gracias e bjos daqui
Eugénio

11:23 AM  
Blogger Pierrot said...

Mina:

Gracias pelos comentários tão elogiosos.
Bjos daqui
Volta sempre
Eugénio

11:23 AM  
Blogger Pierrot said...

Xanusca:

Sim, podes dizer que terá sido a chuva, nio sentido literal. Esta foto foi tirada no momento em que escrevia, tendo-a pedido depois à autora. Quanto ao conteúdo, a chuva e as suas gotas são obviamente uma metáfora.
Gostei de te ver...
Bjos daqui e gracias
Eugénio

11:25 AM  
Blogger Pierrot said...

estranhapessoaesta:

Indecifráveis???
Sim, muito provavelmente.
Primeiro face à minha timidez galopante e depois porque há sentimentos que em nós resultam como indecifráveis, mesmo aos nossos olhos.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

11:26 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Há gotas cirurgicas.
Tal como numa pequena flor, uma simples gota numa petala sua, por vezes, é o suficiente para que fique de cara lavada, e quem diz a cara, fala de almas e de sentimentos.
E como eu adoro metáforas...
Gostei Su, dos teus comentários sempre tão portentosos.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

11:28 AM  
Blogger Pierrot said...

Zélia:

Gracias...
És tão amavel...
Acho que a nossa vida é também, um pouco, uma constante descodificação do fado que nos é reservado.
Gostei
Bjos daqui
Eugénio

11:29 AM  
Blogger Pierrot said...

Isabel:

Óhh, assim eu coro carambas... :-)

Gracias pelos encómios.
Volta sempre.
Bjos daqui
Eugénio

11:30 AM  
Blogger Pierrot said...

Collybry:

E a tua gota será bem guardada, para que nunca seque, gele, ferva ou perca a sua cristalinidade.
Volta sempre que quiseres.
Bjos daqui
Eugénio

11:31 AM  
Blogger Pierrot said...

Dreams:

Vindo de ti, uma fabulosa "escritora", o teu silêncio deixa-me super orgulhoso.
Bjos daqui e muchas gracias.
Eugénio

11:32 AM  
Blogger Pierrot said...

Fúria das almas:

O teu doce beijo cá fica :-)
Boa semana para ti também.
Bjos daqui
Eugénio

11:33 AM  
Blogger Pierrot said...

Luigi:

As gotas que por vezes deixamos escapar, são invariavelmente, as mais importantes, as mais simbolicas e aquelas que mais nos dizem.
Abraço e gracias
Eugénio

11:34 AM  
Anonymous Bandida said...

gotas de nós.




gostei !




abraço!
_____________

2:10 PM  
Blogger Pierrot said...

Bandida:

Tens toda a razão.

São gotas de nós todos...
Quem não as tem, ainda que por um instante.

:-)

Bjos aqui
Eugénio

5:43 PM  
Blogger RealSmile said...

As mais variadas "gotas" da vida estão muito bem expostas aqui.. Parabéns pelo poema *

8:50 PM  
Blogger Pierrot said...

Realsmile:

Como sempre, belas as tuas palavras.
Singelas mas bem sentidas.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

12:33 PM  
Blogger Bel said...

Lindo poema, sentido brilhante.
jinhos adorei mesmo
ja tinha saudades de te ler

9:27 PM  
Blogger Pierrot said...

Bel:

E eu com saudades tuas caríssima amiga. Gostei de te ver por cá.

Bjos grandes daqui
Eugénio

1:53 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home