My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Friday, October 20, 2006

Crónica de filme - Mozart and the Whale




Mozart and the Whale

(Loucos e apaixonados)

Será que somos tão “normais” quanto pensamos...?

Será que os loucos serão tão loucos quanto pensamos que são...?

Pois é, num filme tão singelo, tão “levezinho”, tão calmo e tão relaxante, eis que deparamos com um afável e surpreendente engano, um pouco devido ao titulo português “manhoso”, ao sermos conquistados por um filme bonito que, por certo, passará despercebido às multidões dos cinemas multi-salas.
Este filme de Peter Naess trabalha um argumento que combina a comédia e o drama de uma forma tão fluente e conseguida que acabamos por mergulhar nele sem perceber ou distinguir estes planos.

Donald, Josh Hartnett, é alguém que sofre de Autismo com uma queda quase incontrolável pelos números e tem a seu cargo umas quantas pessoas que sofrem de problemas semelhantes, trabalhando com eles numa espécie de terapia de grupo.
Isabel, Radha Mitchell, também sofre de Autismo, sendo incapaz de ouvir tilintares, pelo que, numa manhã como outra qualquer, acaba por entrar na vida de Donald através desse grupo de terapia.

A paixão entre ambos nasce de uma forma inevitável, constituindo para uns, os ditos “normais” da sociedade, uma fatalidade, enquanto que para outros, os ditos “loucos de amor”, uma autêntica lição de vida e de como ultrapassar os problemas “normais” que sempre acontecem numa relação a dois.
E esta história tinha tudo para não passar de um vulgar romance, porém, vai muito para além disto.

Acima de tudo, e sem querer entrar em pormenores por razões óbvias, faz com que reflictamos sobre o conceito de normalidade e insanidade no acto de amar, dos seus dramas, dos seus encantos e dos seus medos.

Faz com que sintamos que afinal, na arte de amar, os problemas sejam tão idênticos ao ponto de nos fazer questionar sobre quem é quem neste mundo de ideias e valores sociais pré-concebidos.
Um filme com gags bastante bem apanhados e com uma banda sonora a condizer.
Recomendo vivamente.

Eugénio Rodrigues – Outubro 2006

56 Comments:

Anonymous su said...

Cativaste-me!
Não descanso enquanto não o vir!
Ou seja, está algures por aí em exibição, não é?! Vou procurá-lo...

O que é que o verdadeiro amor deixa que corra como normalidade entre a vida "anormal" que temos? O que é que é verdadeiramente normal ou não entre essa vida e o amor que temos ou procuramos? Será a busca dele mesmo um acto de irreflectida loucura? Ser indiferente como uma espécie de capa de auto-defesa não será a mais normal e sadável capa d eprotecção? Ou será que arriscar viver plenamente tudo será a mais saudável e certa loucura?!

xxx

Um beijo daqui do lado...

12:05 PM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Estava a semana passada no Arrabida Shopping (UCI Cinemas)
Já estava de saída pois passou um pouco ao lado da critica e dos grandes interesses comerciais.
Por isso, se queres ver, despacha-te senão depois só em DVD.

Tantas dúvidas Su.
E todas elas são interrogações retóricas, ou seja, não têm resposta.
Diria que muitas vezes, amar é fugir a todos os prognósticos, a todos os conselhos, enfim, amar or vezes é caminhar no arame.

Gostei de te ter aqui neste palco.
Bjos daqui
Eugenio

1:15 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Vou seguir a tua sugestão...
:)

Quando li as tuas palavras veio em mim aquelas palavras de ... pois, não me recordo o autor, nem a frase como deve ser mas, é qq coisa como... Não perguntes de amor aos sensatos.. eles não sabem o que isso é, pergunta aos loucos que não amam com sensatez..

Um abraço grande e desassossegado (sem sensatez) para ti pierrot
**

1:57 PM  
Blogger Mina said...

Por acaso o filme não me passou ao lado. Infelizmente não o vi, mas vou estar atenta à edição em DVD :)
Aproveito para aqui agradecer a tua intervenção no meu Space... simplesmente fabuloso! Obrigado mesmo :)
Beijoca e um óptimo fim de semana.

2:09 PM  
Blogger Vera said...

Fiquei bastante inclinada a ver o filme que recomendas.
O tema interessa-me bastante.
E afinal o que é normal? Normal para uns é anormal ou uma verdadeira aberração para outros.
E quando se trata de amor, tudo vale a pena!
Beijinhos

2:47 PM  
Anonymous collybry said...

Amigo querido, bem hajas pela visita tão simpatica, a musica é de Beethoven sonata_ao_luar se for necessário Te darei o endereço ok...Sabes os autistas a meu ver nunca saem de pleno do Muindo Espiritual,é impressionante...sabes tambem penso que tudo que seja um pouco diferente é apelidado de louco, ou anormal, e tudo que fuga ao dito normal o é...já sofri desse mal...
deve ser muito bom o Filme,então somos visinhos!!!Doce beijo Te deixo, cÕLLYBRY

3:12 PM  
Anonymous Secreta said...

Hm , parece interessante :)
Já agora , no amor , o que é que é considerado normal ou anormal ?! :)
Beijito.
Bom fim de semana.

3:16 PM  
Anonymous Anonymous said...

um otimo fds pra vc
Beijos
Be
http://avassaladoraportudo.zip.net/

3:43 PM  
Blogger Pierrot said...

Estranha pessoa esta:

Frase bonita e carregada de significado.
E está certissima, acho eu.
Bjos daqui e gracias por teres passado por cá.
Eugénio

6:18 PM  
Blogger Pierrot said...

Mina:

Ora essa.
Fi-lo com muito gosto pois o teu blog está tremendo.
E depois, na 1.ª oportunidade, num cinema ou em casa, dá uma olhadela ao filme.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

6:19 PM  
Blogger Pierrot said...

Vera:

Pois é.
Esta coisa da normalidade, é um saco onde cabe muito preconceito e onde se esconde tantas debilidades.
Bjos daqui e gracias por teres passado por cá.
Eugénio

6:20 PM  
Blogger Pierrot said...

Collybry:

Claro que quero.
Assim que puderes põe o endereço.
A música é arrepiante e dotada de uma espiritualidade que desenvolve de imediato a vontade de escrever algo.
É como que compulsiva.

Sobre o filme, disseste tudo e muito bem. As fornteiras da normalidade...

Finalmente, se és do Porto ou arredores, então somos vizinhos, ou não fosse este norte uma autêntica aldeia onde tudo está tão perto.
Giro encontrar vizinhos na blogosfera pois o mais "normal" é encontrar pessoas de longe.
Bjos daqui e volta sempre
Gracias
Eugénio

6:24 PM  
Blogger Pierrot said...

Secreta:

Adora saber responder a essa tua pergunta, por ti, por mim e acredito que por muita gente.
Infelizmente, acho que nem eu nem ninguém o sabe por isso, o melhor é ir indo e ir vendo, conquanto que as pessoas se sintam bem com o que fazem e com o que sentem.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

6:25 PM  
Blogger Pierrot said...

Avassaladoraportudo:

Um bom fds também para ti.
Bjos daqui
Eugénio

6:26 PM  
Blogger MARTA said...

Obrigada pela dica - o tema é interessante e concordo contigo relativamente ao titulo.
Quanto a serem 2 pessoas autistas, porque não? Todos temos o direito de amar, mas estamos presos a convenções que nos tolhem a vida.
Obrigada pelos comentários. Tenho lá mais um e fica um convite para dançar.
Beijos e abraços
Marta

8:14 PM  
Blogger GK said...

Por acaso ainda não vi esse.

Bj.

8:43 PM  
Blogger Vénus said...

Bem, cinéfila compulsiva como sou, não há dúvidas de que visitirei e me deixarei envolver por mais um filme.

Obrigada pela dica! :)

Um beijo grande

9:46 AM  
Blogger Maresi@ said...

Como sempre trazes temas deveras interessantes... Ainda não vi o filme mas ja li criticas...
Irei vê lo concerta...afinal nada é "barreira" quando se ama...
Vim agradecer tuas simpaticas palavras la no meu recanto. é sempre bom receber te por la... a tua presença é necessaria e sempre bem vinda...

Beijo suave___Maresi@

10:39 AM  
Blogger RealSmile said...

Bemmmm! Depois desta breve descrição, tenho de ver o filme! *

12:20 PM  
Blogger Kalinka said...

Olá Eugénio
Tenho andado um pouco ausente, mas assim que bato à sua porta e entro, fico tão arrependida do que perco em não o visitar com mais assiduidade...
Adoro cinema, mas também não tenho conseguido concretizar as minhas idas ao cinema ultimamente...
Vou ter que dar uma volta na minha vida, estou a perder coisas muito importantes!!!
Adorei a descrição deste magnífico filme, e já estou em pulgas para ir ver logo que possa...
Hoje, convido-o para a minha sala de visitas, um lanche em que vamos abordar um tema muito importante: a solidariedade para com 2 gémeos que muito necessitam neste momento da ajuda de todos nós.
Apareça. Até logo.
Abraços.

1:35 PM  
Blogger Kalinka said...

This comment has been removed by a blog administrator.

1:36 PM  
Blogger cinza said...

Shim...

2:35 PM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

Gracias e por lá passarei.
Bjos daqui
Eugénio

3:00 PM  
Blogger Pierrot said...

Gk:

Então não o percas pois é giro.
Bjos daqui
Eugénio

3:00 PM  
Blogger Pierrot said...

Vénus:

Ora essa cara amiga.
As vezes passam-nos filmes ao lado e nem reparamos neles.
Bjos daqui
Eugénio

3:01 PM  
Blogger Pierrot said...

Maresia:

Não tens nada que agraceder.
O teu blog é um espaço já obrigatório para mim e visito-o de bom grado.
Bjos daqui e não deixes de ver o filme.
Eugénio

3:02 PM  
Blogger Pierrot said...

Realsmile:

E olha que achei que a minha descrição ficou aquém do filme.
Bjos daqui
Eugénio

3:03 PM  
Blogger Pierrot said...

Kalinka:

Gracias por teres passado por cá e aproveita a vida enquanto podes. Não te deixes empacotar como conserva em lata.
Sobre o teu blog, claro que passarei por lá.
Bjos daqui
Eugénio

3:04 PM  
Blogger Pierrot said...

Cinza:

Ehehehe
Shim...
Está bem...pode ser eheheh!

;-)

Bjos daqui
Eugénio

3:05 PM  
Blogger Pedro Gamboa said...

Curioso, antes de começar esta aventura que é o meu blog, tinha outro sobre cinema que nunca me deu gozo ter, acabava por ser um sacrifício escrever sobre alguns filmes.
Já a forma apaixonada com que tu escreves, é encantadora, eu cada vez que leio um texto teu sobre um filme, quase me sinto automaticamente obrigado a ir vê-lo!

Partilhamos o gosto pela sétima arte. Forte Abraço.

5:14 PM  
Blogger Nani said...

"...reflictamos sobre o conceito de normalidade e insanidade no acto de amar..."

Será verdadeiramente amor se nao for fora do normal e sobretudo se nao for insano??

Ainda não vi o filme, mas... nao serão todos os amantes autistas para o mundo que os rodeia?
E se não forem... será amor??

Muitos beijos daqui!

6:48 PM  
Blogger Prismatico said...

Pierrot era un fmaoso luchador meicano!! salu2

8:24 PM  
Blogger Cherry Blossom Girl said...

Já vi e tanbém gostei muito. Acho que o teu texto descreve na perfeição o mundo destas duas personagens, destes dois seres loucos e apaixonados!!!
Mas também que seria a vida sem o amor, sem a paixão, sem um bocadinho de loucura?!!
Beijinho grande
***

6:50 PM  
Blogger Bandida said...

Eugénio, vou ver, ai vou, vou!...:)
___________

Abraço!

11:00 PM  
Anonymous su said...

OLha, grande frase essa a tua: amar é caminhar no arame! Muitas vezes, algumas vezes...são perguntas destas retóricas que nos vão avassalando a alma de inquietação...já dizia o mestre Fernando Pessoa...que pensar é estar doente...

Somos a soma de todas as nossas acções, vontades, pensamentos e desejos...e uns excedentes mais que nem sabemos de onde vêm.

Vou procurar esse filme, então. Pode ser que ainda vá a tempo de aí ter sorte. Por cá (assim falando!!).

Um beijo.

1:31 AM  
Blogger Pierrot said...

Pedro Gamboa:

É verdade caro amigo.
Eu faço comentários sobre alguns dos filmes que vejo, mas apenas aqueles que gosto e que julgo que valha a pena. Quanto aos outros, não tenho qualquer motivação para o fazer, logo, nem me dou ao trabalho.
Abraço
Eugénio

2:05 PM  
Blogger Pierrot said...

Nani Pinto:

Pois, tens razão.
Amar na verdade, implica muito provavelmente uma grande dose de loucura, pelo menos no que tange ao fazer algo de diferente, um pouco todos os dias, por forma a que a chama se alimente constantemente.
O autismo, em si próprio, na mensagem do filme, pode encerrar uma mensagem sub liminar que me tinha escapado.
Muito bem apanhado Nani.
Parabéns
Bjos daqui e gracias
Eugénio

2:08 PM  
Blogger Pierrot said...

Prismatico:

Obrigado pela dica e sê bem vindo a este espaço de entertenimento.
Espero que gostes e quero que saibas que serás sempre bem vindo.
Abraço
Eugénio

2:09 PM  
Blogger Pierrot said...

Cherry:

Sem dúvida carissima amiga.
A insanidade anda sempre de mãos dadas com o amor.
Só é precisa a maestria para os saber dosear.
Bjos daqui e parabéns.
Gracias
Eugénio

2:11 PM  
Blogger Pierrot said...

Bandida:

Vai que não te arrependerás por certo.
Bjos daqui
Eugénio

2:11 PM  
Blogger Pierrot said...

Pois é Su:

Amar é caminhar todos os dias no arame. É lutar para que jamais se caia na rotina que a todos esmaga.
É viver sempre todos os dias...
Bjos daqui e olha que não perderás o teu tempo a ver o filme.
Eugénio

2:13 PM  
Blogger Pierrot said...

Este comentário é apenas uma experiência visto que tenho tido algumas dificuldades em aceder ao blog e inserir post's

6:34 PM  
Anonymous su said...

N vida que temos não temos realmente mais hipóteses do que viver a própria vida que temos nas infinitas escolhas que fazemos...é a nossa...

:)

Queria deixar-te um sorriso com o brilho da Lua visto que agora não se sente o Sol. Mas quando leres isto provavelmente será o Sol que te acolherá e irá reclamar-te um sorriso de boa disposição à cobrança da parte da Teia. Com juros, não sei que entendes o que é que isto pode significar para um Pierrot?!!! Bancarrota de sorrisos! ; )
Deixo-te um arco-íris também apenas para o caso de amanhã o tempo andar indeciso entre a chuva e o Sol...e se andarem a brincar de gato e rato...que brinquem em ti o sorriso e a boa disposição...
E quero palavras lindas que mostrem que isso tudo te tocou...palavras coloridas penduradas em fios de Teia!! Ou em folhes do traje do Pierrot...

Um coração alegre.
Bonito. Com palavras poéticas genuinamente belas correndo a par e passo, do seu póprio sangue...

Um beijo grande aqui da Teia..."impertinente"!! ; )

1:15 AM  
Blogger Dafne said...

Olá Eugénio

Temos algo em comum. Não sei se já te disse aprecio bastante o mundo da 7.ª arte. Fascina-me, sempre me fascinou.

Começei muito cedo a ver filmes, naqueles grandes cinemas, que hoje já não existem ou estão em ruínas.

O "cinema" de hoje em dia já não tem aquela magia de antigamente: salas/estúdios enormes para um consumo visual massificado, regados pela velhinha coca-cola e por pipocas, muitas pipocas...

Quanto aos filmes, sim ainda se fazem bons filmes. Contudo, a frequência com que aparecem nas salas de cinema diminuiu consideravelmente.

E quando aparecem, surgem como títulos "monstruosos" como é o caso em questão.

Ás vezes, encontrar um bom filme nas salas de cinema é quase "como encontrar uma agulha no palheiro".

Desculpa, divaguei um pouco, não me leves a mal.

Um beijo, daqui para ti.

11:28 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Não és nada impertinente, bem pelo contrário.
As tuas palavras, os teus cmentários, os teus textos, poemas e músicas, são sempre um elán para a alma.
Fazes bem, no que me diz respeito, em "dançar" por aqui.
Quanto ao arco iris, ele há dias assim. As vezes não o vemos porque nem nos damos ao trabalho de olhar o céu...
Bjos daqui e gracias pelas bonitas palavras.
Eugénio

2:31 PM  
Blogger Pierrot said...

Dafne:

Não divagaste nada por acaso, e mesmo se o tivesses feito, também isso seria agradável de ler pois neste espaço respira-se liberdade, inclusive para me hostilizarem como já aconteceu.

Filmes bons, felizmente que continuam a ver-se por aí, mas infelizmente, cada vez mais estamos nas mãos das grandes produtoras que, com as suas poderosas máquinas de marqueting, apenas nos mostram o que querem.
Há que fuçar por um bom filme, sempre...

Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:33 PM  
Anonymous temp_nua said...

Meu menino Eugenio, hummm olha a intimidade kkkkkkkk, lendo tua cronica do filme, já percebi que vou virar uma tempestade kkkkkk. Filmes assim sempre me emocionam, alias choro por qualquer coisa, acho que é por isso meu nick tempestade kkkkkkkk, só que não sou tão violenta rsrsrrs.
Vou guardar a indicação do filme.
Um beijo menino
Fica bem tá
Temp_nua

2:46 PM  
Blogger vero said...

Beijinho******

2:49 PM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Se calhar não, se calhar vais-te segurar pois o filme é acima de tudo, uma perspectiva do amor, de amar, de estar numa relação a dois.
Vais gostar.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

4:37 PM  
Blogger Pierrot said...

Vero:

Bom ter-te por cá.
Bjos daqui
Eugénio

4:38 PM  
Blogger missixty2000 said...

Mas que grande surpresa, também gostas de fazer as tuas críticas à sétima arte!?
Não o vi ainda, mas parece o meu estilo de filme!Só não percebi porque seria uma fatalidade, gostarem um do outro!?? Ambos com problemas idênticos, tem forma de se entenderem melhor entre si!E o amor não escolhe!Seja em idades, raças ou credos!Eu diria antes que o próprio amor em si é que é fatal!Quando somos apanhados por ele, viramos marionetas!
Como ja referi no blog do " Sentidos", não sou sádica, nem masoquista, terei as minhas fantasias como a maior parte das pessoas tem, nada mais que isso!Gosto é de falar de tudo, sou assim,não tenho preconceitos! Mas sou uma pessoa absolutamente normal, acredita! ehehe
beijos

4:41 PM  
Blogger Pierrot said...

MissSixty:

Sobre a fatalidade de se apaixonarem e amarem, não te poderei contar pois dessa forma contar-te-ia grande parte do filme.
Em abstracto, sempre te adianto que por vezes amar pode-se tornar perigoso. Basta qua um dos dois ou ambos não saibam como lidar com esse sentimento, com os impulsos e sensações que provoca e que pode descontrolar qualquer um.
Daí o termo... fatalidade ;-)

Sobre a tua irreverência, também te digo que sou uma espécie de enfant terrible. E só sou comedido, nalguns aspectos, dada a minha profissão pois se assim não fosse, seria ainda mais rebelde do que sou. E mesmo assim já vou dando umas alfinetadas ao social e politicamente correcto.
Como eu detesto formalidades, fatos e gravatas.

Gostei de te ter por cá, pois agrada-me sempre personagens marcantes como tu misssixty.
Volta sempre e gracias
Bjos daqui
Eugénio

4:46 PM  
Blogger redonda said...

E deste filme não tinha nem ideia. Vou ver se o consigo encontrar em algum clube de vídeo.

7:12 PM  
Blogger Pierrot said...

Redonda:

Então vais-te passar mesmo pois eu também fui vê-lo numa boa, quase como que distraído e fiquei vidrado na sua mensagem
Não percas
Bjos daqui
Eugénio

4:52 PM  
Blogger carla guiomar said...

Olá Eugénio,
Descobri hoje por acaso a referência a este filme, já pesquisei horas na net e não descanso enquanto não o encontrar... A sinopse prendeu-me totalmente a atenção, e (não) por acaso, até sou mãe de um rapaz com a Sindrome de Asperger e portanto esse é também o meu mundo (apaixonante e pleno de desafios, aliás, como qualquer vida consciente nao deixa de ser!). A Sindrome de Asperger não é uma perturbação tão grave e disfuncional quanto o autismo clássico e às vezes tem uma expressão tão ligeira que se confunde com uma personalidade peculiar ou excêntrica.. Na verdade é uma forma muito interessante, produtiva e enriquecedora de ver o mundo se for bem acolhida pela (bem mais) louca sociedade em que vivemos. Como diz Tony Attwood, que em julho esteve em portugal e deu uma excelente entrevista à Pais & Filhos.. O mundo precisa de pessoas com Asperger..
Será que consigo encontrar esse DVD em Portugal? Algum site que venda online?.. Agradeço qualquer indicação que possam dar!
E a propósito da discussão da loucura.. deixo-vos com uma frase de Krishnamurti:
"It is no measure of health to be well adjusted to a profoundly sick society."
Um abraço e muito obrigada!

5:28 PM  
Anonymous Anonymous said...

Este filme se trata de pessoas que possuem Sindrome de Asperger e não autismo, e na minha opnião existe uma grande diferença. Assim que comecei a suspeitar que algo era diferente em meu filho, que hoje tem 6 anos, eu fui pesquisar na internet, mas logo percebi que o que meu filho tinha não era autismo. Demorei para achar as informações a respeito do sindrome de asperger, mas quando achei sabia que era aquilo, antes mesmo de qualquer especialista dizer qualquer coisa. E confesso que depois de ver esse filme fiquei bem assustada, pois certamente não quero ver meu filho na posição que Donald se encontra na sociedade. Creio que com terapia, muito amor e com a ajuda de Deus meu filho vai sair dessa.

6:34 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home