My Photo
Name:
Location: Porto, Portugal

Quando morrer, talvez tenha uma ideia formada sobre mim, se o destino me der esse luxo.

Monday, October 30, 2006

Crónica de Filme - The Black Dahlia






The Black Dahlia

“Nada fica enterrado para sempre!”...

Los Angeles, anos 30, onde a violência e a corrupção andavam de mãos dadas com a época dourada do glamour social.
Brian De Palma recupera um argumento de James Ellroy e transforma-o num Thriller cinematográfico dos melhores do género, misturando-lhe não um mas vários enredos tão dramáticos que se vão adensando numa trama bem urdida e escondida quase até ao final, num filme duro, rude e rocambulesco, por vezes até pesado.
A violência e o crime não tem aspas nem maquilhagem e o som dos tiros quase nos ensurdece ao mesmo tempo que o sangue parece querer saltar da tela.

“Os Homens têm a quase fatal tendência para se alimentarem dos próprios Homens!”

Dois Policias, dois amigos, Bleichert (Josh Hartnett), e Blanchard (Aaron Eckhart), personificam o bom policia e o mau policia. Dois tipos de justiça, em que os fins podem justificar os meios, ou talvez não... e onde não conseguimos deixar de nutrir simpatia e até alguma compaixão por ambos, não obstante o enredo. Um crime brutal por resolver, criminosos à solta e prioridades a ter em conta que chocam com os valores destes dois homens. Impossível separar as suas profissões das suas vidas e Brian De Palma fá-lo com mestria.
Numa tela de coloração amarelada que o torna este filme ainda mais genuíno, os Romances entrecruzados com Kay (Scarlett Johansson) e Madeleine (Hillary Swank) jogam-se de uma forma quase perfeita e embalados por uma música bem apropriada.

Ninguém é integralmente bom nem ninguém é inteiramente mau.

A vida e a circunstância fazem o Homem e as suas necessidades mais prementes moldam o seu carácter.
Não devemos nunca afirmar que “desta água não beberei” pois as emoções e os sentimentos estão em constante ebulição e muitas vezes a racionalidade e os princípios não chegam para nos mantermos à tona da vida...
Meus amigos, mais um filme que vale a pena e os prémios que já ganhou são mais que merecidos.

Eugénio Outubro 2006

46 Comments:

Blogger Mina said...

Já fui ver, e ia sem expectativas. Gostei mesmo muito. Surpreende e agarra. Recomendo.
Beijoca e uma óptima semana.

2:08 PM  
Blogger Pierrot said...

Mina:

Eu por acaso fui com expecativas mas não as gorei.
É um bom filme, não há dúvidas.
Gracias e bjos daqui
Eugénio

2:14 PM  
Blogger Fis said...

O nosso filme foi muito bem..tens de ver ("Os filhos do homem").

beijinhos

4:10 PM  
Blogger  said...

É um bom filme, daqules que nos mantem atentos para nao perder o fio à meada. É interessante e aconselho qq um a ir ver.

Abraço

5:06 PM  
Anonymous su said...

Fui vêlo ao Open Air Optimus...com o Tejo como cenário de fundo. Calhou mesmo bem!
Um filme que capta toda a atenção não só para a estética dos movimentos, das cores, da elegância da fotografia e do estilo que cria, mas também que agarra surpreendentemente a atenção para não perder d efacto fio À meada...porque se trata de um verdadeiro novelo criminal! No qual se enreda as tensões e emoções humanas.
Já fiz post na Teia, fiquei fã deste filme.
Estava a pensar comprar o livro.
: )

Beijos aqui deste lado destes fios.

6:18 PM  
Anonymous su said...

..."vê-lo"... (desculpa, este é daqueles erros, mesmo que por distracção, não se escapa!!)...

Mais uns beijitos!

6:19 PM  
Anonymous Anonymous said...

Estava a sentir saudades tuas.
Beijo Beijo Beijo

6:36 PM  
Blogger vero said...

Olá querido amigo, que simpáticas palavras me deixas lá no meu cantinho... Obrigada por me fazeres sorrir... mto obrigada!!!
Beijos mil***

6:53 PM  
Blogger MARTA said...

Também vi e escrevi a minha própria crítica para o blog de um amigo.
Eu fiquei com umas certas reservas, mas no geral é um bom filme.
Beijos e abraços
Marta

8:11 PM  
Anonymous temp_nua said...

Se nossos sentimentos fossem sempre constantes, a vida perderia um pouco a graça. Achamos sempre que não fariamos isso ou aquilo, mas basta algo mecher conosco que muda-se a forma de pensar rapidamente. As pessoas são mistérios, que muitas vezes precisam ser desvendadas.
Espero que aqui chegue logo o filme.
Estava sentindo tua falta em meu aroma.
Um beijo
Fica bem
Temp_nua

9:47 PM  
Blogger Vera said...

Quando por aqui passo e vejo as tuas crónicas sobre algum filme, fico sempre com vontade de ir a correr para o cinema mais próximo!
Beijinhos grandes

10:26 PM  
Blogger Nani said...

Passei por aqui só para te dar um beijinho... o resto está no meu cantinho...

Até lá...

Abraço

Nani

10:49 PM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Como sempre fico agarrada aos teus comentários sobre a grande tela.

Vou tentar ir ver.

Um abraço grande e desassossegadamente estranho para ti Pierrot :) **

3:24 AM  
Anonymous Secreta said...

"Ninguém é integralmente bom nem ninguém é inteiramente mau." ... hmm , será mesmo? Eu tenho dúvidas , principalmente em relação ao "ninguém é inteiramente mau " .
Ainda não vi o filme ... (opah , sinto de outro planeta :D )
Beijito.

9:27 AM  
Blogger Pierrot said...

Fis:

POr acaso era para ir ver esse mas à última da hora mudamos o esquema.
Mas esse será o próximo...
Gracias pela sugestão.
Bjos daqui
Eugénio

10:40 AM  
Blogger Pierrot said...

Rá:

Benvindo a este espaço de partilha e de comentários.
Sempre bom "ler" caras novas :-)
Vejo que partilhamos ambos do mesmo gosto pelo Back Dahlia...
Gracias pelas palavras.
Abraço e volta sempre
Eugénio

10:42 AM  
Blogger Pierrot said...

Su:

Por acaso imagino que o livro seja bem melhor pois noto que o final é um pouco abrupto em informação e que será daqueles livros onde o mistério se adensa em pormenores que por vezes escapa no cinema.
Estilo Codigo da Vinci...
Bjos daqui e deixa pra lá o "Vêlo" eheh.
Gracias
Eugénio

10:44 AM  
Blogger Pierrot said...

Vero:

E eu fico feliz por sorrires com as minhas palavras.
É bom sinal digo eu :-)
Bjos daqui e gracias.
Eugénio

10:44 AM  
Blogger Pierrot said...

Marta:

Está registada a tua "critica".
Sem dúvida que este é um filme que não agrada a todos. Por exemplo, do grupo que o foi ver comigo, eu fui o único a gostar...
Bjos daqui
Eugénio

10:47 AM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

O beijinho cá fica bem guardado e já andei a "cheirar" lá no teu cantinho.
E está bem giro.
Bjos daqui
Eugénio

10:48 AM  
Blogger Pierrot said...

Estranha pessoa esta:

Gracias pelos elogios à minha escrita. Faz bem ao Ego ehehe.
E vai ver o filme. Não te arrependerás nem darás o dinheiro por mal empregue.
Bjos daqui
Eugénio

10:49 AM  
Blogger Pierrot said...

Temp_nua:

Pois é, já me esquecia que somos de continentes diferentes e que nem sempre as coisas chegam ao mesmo tempo.
Mesmo sem o teres visto, acertaste quase em cheio na critica.
Quando aí chegar o filme, vai dar uma "xeretada". ;-)
Bjos daqui
Eugénio

10:50 AM  
Blogger Pierrot said...

Vera:

Ehehe.
Fazes bem em ir ver e olha que eu não tenho comissão no filme ehehe.
Bjos daqui e gracias
Eugénio

10:51 AM  
Blogger Pierrot said...

Secreta:

Eu sei que por vezes é dificil acreditar nessa máxima, principalmente quando alguém nos faz sofrer. Porém, eu mantenho-me fiel a essa frase e, tal como escrevi na crónica ao filme Colisão, há sempre uma restia de bondade mesmo nos piores "Homens". Por vezes, a sociedade e o meio em que estão inseridos é que os tolhem.
De qualquer das formas, é uma opinião respeitável claro está.
Gracias por teres passado por cá.
Bjos daqui
Eugénio

10:54 AM  
Blogger Estranha pessoa esta said...

Boa tarde :)

Tens um recado para ti no Pernas para o AR.

Um abraço grande e desassossegado :) **

1:14 PM  
Blogger Fúria das Águas said...

Querido Eugenio, que bom gostou do meu post. As vezes se acorda meio inspirada e faz-se coisas bonitas rsrsrsr. Como ja comentei teu post como a temp, deixo-te um beijo.
Fica bem

Já atualizei os dois blogs, quando puder venha me ler, no furia va sorrir um pouquinho rsrsr.

2:36 PM  
Blogger Pierrot said...

Estranha pessoa esta:

Já fui ver, e adorei.
Gostei da tua surpresa.
E o baleal é tão bonito não é?
Abraços e bom feriado
Eugénio

5:39 PM  
Blogger Pierrot said...

Furia das aguas:

Lá irei cara amiga, lá irei, sem falta.
Bjos daqui
Eugénio

5:40 PM  
Blogger Velutha said...

Já vi e gostei muito. Contudo hoje não estou para filmes. A mudança da hora, que faz anoitecer mais cedo, escureceu o filme da minha vida. Hoje não tou cá. Tou triste.Desculpa miguito este desabafo.Mas os amigos...
Jinhos d`aqui

6:34 PM  
Blogger Pierrot said...

Velutha:

Carambas miguita...
Então?!
Vá lá animar...eu sei que os amigos são para os bons e maus momentos mas que me parte a alma ver-te assim tão triste e enfiada no teu cantinho.
Vá lá aproveitar este feriado e espairecer um pouco. Se estiveres junto ao mar, aproveita para adr uma volta. E olha que o cinema não era má ideia pois assim bem que te distraias...
Quando voltar na 5.ª, quero ver-te mais animada.
Certo?

Bjos daqui e bora lá espevitar
Eugénio

6:46 PM  
Blogger Nani said...

Então Eugénio? Não comentas o teu próprio poema?

Beijinho grande

Nani

8:51 PM  
Blogger GK said...

Também fui ver. Muito bom. Tenho é de o ver outra vez e em slow motion, para ter a certeza que apanhei tudo tudo! É que é MUITA informação em pouco tempo! LOL

Bj.

10:04 PM  
Blogger Dafne said...

Olá Eugénio
Agradeço o elogio que fizeste no meu blog. Obrigada!
Quanto ao filme, ainda não fui ver.
Mea culpa. Mas a vida profissional e pessoal não me deixa muito tempo para os pequenos prazeres da vida como o cinema.
Contudo, pelo que escreves e pelo bom gosto que tens, deve ser mesmo bom.
Bom Feriado!

11:04 PM  
Blogger sentidos said...

"Para vivermos em harmonia basta que os homens bons nada façam".(A.Einstein)
Gostei deste teu espaço...

Um abraço

1:37 AM  
Blogger Kalinka said...

POIS...
aqui está um belo lugar que gostaria de ir pela 1ª vez: Open Air Optimus...com o Tejo como cenário de fundo.

Eugénio, este filme ainda não vi nem sei se irei ver, parece-me que não é muito o meu género!!!
Abraços.

1:28 AM  
Blogger Fúria das Águas said...

Oi menino Eugênio, postei uma imagem em meu cantinho, quero que venhas e me digas o que achas dela.
Um beijo
Fica bem
Temp_nua

2:55 AM  
Blogger Pierrot said...

Nani:

Nem sei o que te diga, amiga!
Olha, vou deixar aqui o comentário que escrevi no teu blog...

Nani:

Confesso que me senti muito confuso, irradianto sentimentos difusos quando me sentei hoje na minha secretária e busquei o meu blog. Lendo o teu comentário/convite e descobrindo o teu post... encostei-me para trás na cadeira e fiquei aqui uns minutos sem reacção.
Os processos, clientes, telefonemas, códigos, parou tudo...

Li o poema e voltei a ler, e voltei a ler...
Impressionante.
Sabes que me quedei com a sensação de o ler sempre pela 1.ª vez!
Sabes que o senti como nunca o tinha sentido!
O único ponto comum foi a emoção que senti, em tempos, e hoje, uma vez mais.

Nani:
Hoje deixaste-me sem saber o que te dizer, admito.
Esse poema foi escrito em função de um rosto, que por sinal, pouco mais é que uma boa recordação, mas não deixa, não obstante, de ser algo muito sentido e muito actual.

Nani:
Acho que hoje atingi a verdadeira dimensão da razão pela qual resolvi fazer o meu blog e passar a fazer alguns rascunhos do que me passa pela cabeça. E para que percebas também essa dimensão deixo aqui transcritas as palavras de então, no meu 1.º post de Abril de 2006:

"Pierrot

Nasci ou antes, tornei-me visível...!


Começo desta forma os "Post's" do meu Blogger.
Não posso dizer que nasci pois o meu espirito já existe há muito tempo, tal como a minha consciência que me faz sentir mais do que viver, que me faz olhar onde por vezes nada vejo, que me faz arrepiar sem que sinta frio, que me faz entender mesmo quando nada percebo e acima tudo, que não deixa que a vida me passe ao lado sem que a agarre e lhe pergunte o que ela quer de mim.
Não pretendo ser pretencioso de me assemelhar a algum pseudo intelectual nem tão pouco quero ser porta voz das banalidades do dia-a-dia. Apenas desejo tornar-me visível, como que ganhar carne e osso, para enfim encontrar e perceber que, afinal, tal como eu, muita gente teve um dia, o ímpeto de desenhar o rosto da sua alma no espelho.Qual Pierrot, resolvi finalmente vestir-me e pintar-me para dar e receber a "lágrima" e o "sorriso" que definem a nossa fugaz existência.
Espero gostar de todos vocês...!"

E tenho adorado todos vocês.
Para ti Nani e para todos que comentam estes meus esquissos, um beijo e um abraço do tamanho do mundo.

Eugénio

12:06 PM  
Blogger Pierrot said...

Gk:

Sem dúvida.
Se fosse o B. De Palma, propunha mais meia hora de filme, para que o final não seja tanto aos trambolhões...

;-)

Bjos daqui e gracias

Eugénio

12:10 PM  
Blogger Pierrot said...

Dafne:

Não tens que abradecer.
O teu blog é um must para a poesia.
Quanto ao filme, só comento aqueles que gosto e este está bom, muito bom.
Bjos e gracias daqui

Eugénio

12:12 PM  
Blogger Pierrot said...

Sentidos:

Grande citação essa que abre o meu dia de trabalho...
Bom ter-te por cá.
Gracias e um abraço
Eugénio

12:13 PM  
Blogger Pierrot said...

Kalinka:

É um filme duro...
Do genero do Seven, Coleccionador de Ossos e etc...
Se não gostares, então é melhor procurares outro porque este "não perdoa".

;-)

Bjos daqui e gracias por te ter por cá.
Eugénio

12:15 PM  
Blogger Pierrot said...

Furia das Aguas:

Lá irei, sem falta.
E o Brasil aqui tão perto né!
À distância de uma tecla ;-)
Bjos daqui
Eugénio

12:16 PM  
Blogger Bel said...

Não vi ainda, mas parece interessante ao que descreves. Ainda não chegou a viseu.
jitos

9:26 PM  
Blogger Pierrot said...

Bel:

Espero que chegue carambas senão seria um desperdicio pois o filme está bemzinho.

Bjos daqui
Eugénio

1:52 PM  
Blogger redonda said...

Este ainda não vi, mas gostava de ver, sobretudo depois de ler o que escreveste.

7:10 PM  
Blogger Pierrot said...

Redonda:

Não te vais arrepender...
Um pouco violento mas muito bom
Bjos daqui
Eugénio

4:50 PM  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home